Indústria nacional pagou mais horas de trabalho em novembro, segundo IBGE

No confronto com outubro de 2005, nota-se aumento de 1,3%; na somatória dos últimos 12 meses a alta chega a 1,2%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A indústria nacional pagou 1,3% mais horas de trabalho em novembro na comparação com outubro. No confronto com novembro de 2004, nota-se uma redução de 0,7%. Já no acumulado de janeiro a novembro a alta chega a 0,9%, enquanto na somatória dos últimos 12 meses o acréscimo é de 1,2%.

Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada nesta terça-feira (17) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A série desconta as influências sazonais.

O mesmo estudo aponta queda de 0,6% no nível de emprego do setor e de 0,8% no valor da folha de pagamento real das indústrias na comparação a outubro.

Desempenho regional e por setores

Aprenda a investir na bolsa

Considerando o comportamento do setor em relação a novembro do ano passado, dez das 14 regiões analisadas pelo IBGE tiveram desempenho negativo e contribuíram para a queda do indicador em um ano.

Rio Grande do Sul (-8,2%), Paraná (-4,5%) e Região Nordeste (-3,2%) surgem como os maiores impactos negativos. Por sua vez, Minas Gerais (5,5%) e São Paulo (1,2%) responderam pela pressão ascendente sobre o índice geral, com destaque para alimentos e bebidas (6,5%) e meios de transportes (5,4%).

Setorialmente, 12 das 18 atividades pagaram menos horas no último ano, com destaque para o desempenho da indústria de madeira (-15,7%), calçados e artigos de couro (-12,9%) e vestuário (-4,9%). Alimentos e bebidas (6,5%) e meios de transporte (5,4%) responderam pelas maiores pressões positivas.