Indústria foi o setor que mais contratou no primeiro semestre, aponta Manpower

Setor foi responsável por 3.228 vagas, o que representa um aumento de 24% em relação a 2009

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O mercado de trabalho demandou mais profissionais da indústria no primeiro semestre deste ano. Uma pesquisa da consultoria de recursos humanos Manpower mostra que o setor foi o que mais contratou no período, 3.228 vagas, o que representa um aumento de 24% em relação a 2009.

“Temos visto recordes no número de vagas na indústria a cada mês, e a FIESP [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo] prevê que o crescimento vai continuar, encerrando 2010 com o melhor aumento da série histórica”, afirma o diretor comercial da Manpower, Pedro Guimarães.

Na avaliação do executivo, a prosperidade que vive a economia brasileira dita os caminhos do mercado de trabalho. A estabilidade, explica Guimarães, estimula o investimento pelas empresas em fatores como produtividade e qualidade da mão-de-obra.

Aprenda a investir na bolsa

Destaques no primeiro semestre deste ano, as áreas de Serviços (1.293 novas vagas) e Finanças, Seguros e Imóveis (717 novas vagas) apareceram logo atrás no número de contratações. No período, a Manpower registrou um aumento de 37% nas vagas de trabalho, em comparação com o mesmo período de 2009. 

Perante a análise de contratações, o número de vagas em que a Manpower atuou com recrutamento e seleção subiu 88,68%. As posições para trabalhadores efetivos se elevaram em 62,52% e os temporários tiveram alta de 7,11%.

Estações
Para o segundo semestre, a consultoria projeta um robusto aumento de vagas em todos os setores.

 “O segundo semestre é naturalmente um período em que ocorrem mais contratações na indústria e no comércio por conta das datas comemorativas. Com o bom momento da economia brasileira e o anúncio de grandes investimentos no País, que vão de infraestrutura para o transporte à exploração de petróleo, a expectativa para o período é ainda melhor”, argumenta Guimarães.

Um levantamento realizado pela própria consultoria apontou que os empregadores brasileiros contam com uma Expectativa Líquida de Emprego (ELE) de 40% nos meses finais do ano, dois pontos percentuais acima do resultado referente ao trimestre passado. Tamanho otimismo deu ao Brasil o segundo lugar na lista geral de índices de expectativa de emprego, atrás apenas da Índia, com 42%.