Indústria de SP cria 11 mil vagas no mês de setembro

No acumulado, destaques de alta ficaram com município de Sertãozinho e o segmento de máquinas, escritório e equipamentos de informática

SÃO PAULO – A indústria paulista incrementou sua força de trabalho em 0,48% em setembro, na comparação com agosto. O resultado representa o aumento de 11 mil vagas.

Considerando o ajuste sazonal, há uma alta de 0,26%, de acordo com pesquisa do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) divulgada nesta quinta-feira (16).

No acumulado do ano, o nível de emprego da indústria paulista aumentou 7,65%, o que significa 167 mil vagas criadas. Já na comparação de setembro com o mesmo mês de 2007, a alta é de 4,36%, com 98 mil empregos abertos.

Destaques entre os setores

PUBLICIDADE

Dos 21 setores analisados, 15 apresentaram desempenho positivo em setembro, ante o mês anterior, com destaque para máquinas, escritório e equipamentos de informática (+5,54%), borracha e plástico (+1,79%) e material eletrônico e aparelhos e equipamentos de telecomunicações (+1,74%).

Por outro lado, quatro segmentos tiveram resultados negativos: têxteis (-0,14%), alimentos e bebidas (-0,31%), couros e artigos de couro, artigos de viagem e calçados (-0,89%) e coque, refino de petróleo, combustíveis nucleares e álcool (-1,96%).

Já o segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias (+0,02%) e o de instrumentação médico-hospitalar (-0,08%) mantiveram o nível de emprego praticamente estável entre agosto e setembro de 2008.

Análise regional

Na análise regional, o levantamento revela que Matão foi o município líder em contratações em setembro, com o acréscimo de 2,1% em sua mão-de-obra industrial. Marília e Santa Bárbara do Oeste vierem em seguida, ambos com 1,5%, além de Santos, com 1,3%.

Na contramão dos resultados positivos, as cidades que mais demitiram no nono mês do ano foram Presidente Prudente (-2,6%), Osasco (-2,3%) e Jaú (-1,2%).

Acumulado

No acumulado de 2008, 17 segmentos tiveram resultado positivo e quatro, negativo. Os destaques ficaram com a fabricação de máquinas, escritório e equipamentos de informática (+53,71%) e coque, refino de petróleo, elaboração de combustíveis nucleares e produção de álcool (+29,30%).

Já na análise regional, 31 cidades registraram variação positiva no número de contratações, no acumulado do ano, e cinco obtiveram queda. Sertãozinho foi a cidade que mais empregou (+29,2%), enquanto Santos foi a que mais demitiu (-3,1%).