Indústria abriu 141 mil vagas no primeiro semestre do ano, revela pesquisa

Na análise mensal, junho apresentou crescimento de 0,21% quanto às vagas de emprego, na comparação com maio

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A indústria paulista incrementou sua força de trabalho em 6,48% neste primeiro semestre, totalizando 141 mil vagas abertas.

Os dados são da pesquisa realizada mensalmente pelo Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), divulgada nesta terça-feira (15).

Na análise mensal, junho apresentou crescimento de 0,21% quanto às vagas de emprego, na comparação com maio, o que equivale a 5 mil postos de trabalho. Com o ajuste sazonal, entretanto, o crescimento é ligeiramente menor, de 0,19%. O resultado é um pouco superior ao registrado no mês anterior, quando houve alta de 0,06%, considerando o ajuste sazonal, na mesma base comparativa.

Aprenda a investir na bolsa

No acumulado dos últimos 12 meses, por sua vez, o nível de emprego da indústria paulista já avançou 4,72%, o que implica 105 mil vagas criadas.

Destaques entre os setores

Nos seis primeiros meses do ano, dos 21 setores analisados, 15 apresentaram desempenho positivo e dois se mostraram estáveis. Os destaques foram para coque, refino de petróleo, combustíveis nucleares e álcool (34,99%); alimentos e bebidas (28,50%) e máquinas de escritório e equipamentos de informática (24,74%).

Em contrapartida, quatro segmentos tiveram resultados negativos: couros e artigos de couro, artigos de viagem e calçados (-5,04%); equipamentos de instrumentação médico-hospitalares (-2,65%); confecção de artigos de vestuário (-2,38%); e madeira (-0,91%).

Destaque na análise mensal

Na análise mensal, dos 21 setores analisados, 14 apresentaram desempenho positivo em junho ante o mês anterior, com destaque para máquinas de escritório e equipamentos de informática (+10,75%).

Por outro lado, quatro segmentos tiveram resultados negativos: couros e artigos de couro, artigos de viagem e calçados (-4,88%); coque, refino de petróleo, combustíveis nucleares e álcool (-2,84%); madeira (-0,74%) e produtos de metal – exceto máquinas e equipamentos (-0,35%).

Já outros três segmentos: têxteis; equipamentos de instrumentação médico-hospitalares; e edição, impressão e rep. de gravações mantiveram o nível de emprego praticamente estável entre junho e maio deste ano.

Análise regional

PUBLICIDADE

Na análise regional, levando-se em consideração o primeiro semestre de 2008, o levantamento revela que Sertãozinho foi o município líder em contratações, com acréscimo de 30,7% em sua mão-de-obra industrial. Em seguida, aparecem: Jaú (15,3%), Araçatuba (13,8%), Piracicaba (12,0%), Indaiatuba (11,9%), Araraquara (10,5%), São Carlos (9,4%) e São Caetano do Sul (9,3%).

Na contramão dos resultados positivos, as cidades que mais demitiram neste último semestre foram Matão (-4,2%), Santos (-3,4%), Botucatu (-3,1%), Mogi das Cruzes (-1,3%) e Diadema (-0,4%).

Resultados regionais em junho

No mês passado, há um empate: 18 regiões obtiveram resultados positivos quanto ao emprego industrial e outros 18 tiveram resultado negativo. Entre as variações positivas, chama a atenção a cidade de Matão, com 3,0% de crescimento. Por sua vez, entre as cidades que mais demitiram, os destaques são Jaú (-2,1%) e Santos (-2,0%).