Indicadores Industriais da CNI mostram estabilidade no setor entre maio e junho

Dado o aumento das horas trabalhadas, sem maior utilização da capacidade instalada, não há sinais de gargalos à oferta

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Na passagem entre maio e junho, o setor industrial apresentou um quadro de estabilidade, conclusão associada ao comportamento dos indicadores relativos à produção e ao emprego industrial, que na série com ajuste sazonal não mostraram variações relevantes.

Já na passagem do primeiro para o segundo trimestre do ano, é possível observar um cenário positivo, já que as vendas industriais apresentaram crescimento, ainda que em ritmo muito lento, pelo terceiro trimestre seguido.

As informações compõem a pesquisa Indicadores Industriais que, divulgada nesta segunda-feira (14) pela Confederação Nacional da Indústria, indicou que a expansão nas vendas é estimulada pelo consumo interno.

Horas trabalhadas e ausência de gargalos

Aprenda a investir na bolsa

A pesquisa também revelou que, na base de comparação trimestral, o aumento das horas trabalhadas desacompanhado de uma expansão na utilização da capacidade instalada não sinaliza a existência de gargalos à oferta de produtos.

O indicador de horas trabalhadas registrou um crescimento de 1,88% entre o primeiro e o segundo trimestre do ano, alta relevante não apenas pela intensidade, mas também pela interrupção de uma série de três trimestres em queda.

Porém, se comparado o resultado de junho deste ano com o mesmo mês de 2005, a variação ainda é negativa em 1,15%, refletindo em parte ao menor número de dias úteis e, ao mesmo tempo, os impactos da Copa do Mundo.

Utilização da capacidade instalada estável

Quanto à utilização da capacidade instalada, a pesquisa revelou para o mês de junho uma taxa de 82,3%, o valor mensal mais alto em 2006. Todavia, este aumento não altera a tendência de estabilidade do índice observada desde o fim do ano passado.

Em sentido oposto, na média, o resultado do indicador no primeiro semestre do ano (81,5%) ainda ficou abaixo utilização média de 82,2% registrada nos primeiros seis meses de 2005.

Além disso, com o emprego industrial em alta há dois trimestres, o mercado de trabalho passa por um momento favorável. Em junho, o pessoal ocupado no setor ficou 1,29% acima do mesmo mês de 2005, enquanto índice semestral indica expansão de 1,42% no emprego industrial.

PUBLICIDADE