Inativos voltariam ao trabalho por salário de R$ 800, em média, revela Ipea

Entre os homens, o valor é de R$ 1.007,22, enquanto as mulheres aceitariam um valor de R$ 744,17 em média

SÃO PAULO – Profissionais inativos voltariam ao mercado de trabalho se o salário fosse em média de R$ 800,12, revelou uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira (16) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Os dados foram coletados no segundo semestre do ano passado, nos domicílios de 2.773 pessoas em todo o país, quando o mínimo era de R$ 510, o que indica que o “salário de reserva”, aquele que elas pretendem ganhar, é 57% superior ao piso nacional.

Entre os homens, o valor é maior, de R$ 1.007,22, enquanto as mulheres aceitariam um valor de R$ 744,17 para voltar ao mercado de trabalho.

PUBLICIDADE

Os inativos
Os profissionais inativos são aqueles que declaram ter trabalhado apenas em afazeres domésticos ou não ter trabalhado nem procurado trabalho na semana de referência da pesquisa. Eles representaram 29% da amostra analisada.

Ente os inativos, 31,3% nunca procuraram emprego, sendo que 88% deste grupo são mulheres, o que é esperado, já que elas ainda costumam participar menos do mercado de trabalho do que os homens, de acordo com o Ipea.

A pesquisa mostrou ainda que nem todos os inativos não estão procurando emprego porque não querem trabalhar. Apesar de 57,4% responderem que não aceitariam uma oferta de emprego, outros 40% responderam o contrário.

Na verdade, essa parte está na situação denominada “desemprego oculto pelo desalento”, o que significa que gostariam de trabalhar, mas vários fatores os desanimam.

Entre as razões para não procurar emprego, 44,9% responderam que não precisam trabalhar, enquanto 41,50% disseram que o salário oferecido é sempre muito baixo. Para 41,30%, os afazeres domésticos são muitos e não há condições de contratar uma doméstica.