Importante para empresas, CNO é pouco conhecido; você sabe quem é ele?

Chief Networking Officer é o profissional responsável por gerenciar a rede de relacionamentos da empresa

SÃO PAULO – Dentre as tantas siglas existentes no mercado de trabalho – como MBA, CFO e CEO, só para citar algumas -, eis que surge outra, que está ganhando cada vez mais espaço. É o CNO (Chief Networking Officer). Você sabe o que significa? A sigla denomina o diretor de relacionamentos de uma empresa.

Ele se tornou necessário no mercado de trabalho mundial a partir dos anos 1990. Com a globalização, surgiu a ideia de integração entre os públicos de uma companhia. Agora, era preciso criar parceiros de negócio e não mais exploradores de mercado. Num primeiro momento, ele apareceu nas empresas de tecnologia, mas foi se expandindo.

“Na verdade, a gente fala que ele é novo, mas não é. As pessoas já faziam esse trabalho na empresa, aumentando suas atribuições. O trabalho do CNO ficava na mão de outras pessoas, até mesmo o presidente da empresa, ou o diretor de Comunicação, de Atendimento e etc.”, afirmou a gerente de Consultoria da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Neli Barboza.

PUBLICIDADE

Com o agravamento do processo de globalização, o que se percebeu é que era necessário criar uma posição para administrar os relacionamentos das empresas, e foi então que surgiu o CNO. No Brasil, ele está mais focado em grandes grupos, principalmente nos ramos de tecnologia, telecomunicações e nas grandes instituições financeiras.

O que ele faz?

O CNO tem a função de gerenciar todos os relacionamentos com as pessoas envolvidas no negócio. De acordo com Neli, para simplificar, ele tem de “participar de negociações, perceber se há conflito e traçar estratégias”. Se a explicação é simples, no dia a dia é possível perceber que esse profissional precisa suar a camisa.

“Ele deve ter uma visão que vai além do dia a dia, porque entende o papel do fornecedor, do cliente, do acionista e integra esses interesses. Ele deve administrar relações, ou fazer gestão de parcerias. Então, quando há uma negociação especial, ele entra não só com o papel da empresa, mas analisa o interesse de ambos os lados, para fazer com que todos ganhem”.

Dentre suas funções, está a de criar sinergia entre todos, o que é importante para que as informações da empresa fluam de maneira natural.

Habilidades

Com o dia cheio de atividades, é difícil conseguir um horário para fazer reuniões com todos os públicos. Cafés da manhã, almoços e jantares se tornam cada vez mais raros, promovidos em casos de extrema importância. É por isso que o CNO precisa conhecer bastante a tecnologia, línguas diversas e mecanismos de informação rápidos.

Além disso, ele tem de gostar de se relacionar com as pessoas, de interagir. Precisa ter um conhecimento em negociação, não para fazê-la de forma ferrenha, mas conciliadora. “Tem de se colocar no lugar dos outros, ser carismático e persuasivo”, ressaltou a gerente da Ricardo Xavier.

Como a posição ainda está ganhando corpo no mercado, a formação do profissional e a origem (de que empresa ele veio) não são muito importantes. O que se exige, então, é domínio do mercado e visão estratégica.