IBGE: emprego industrial fica estável em 2006

Já em dezembro, a pesquisa aponta que houve queda de 0,3% frente ao mês anterior e alta de 0,8% na comparação com o último mês de 2005

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O nível de emprego da indústria nacional ficou estável no ano passado (variação de 0,0%). Frente ao 1,8% de 2004 e ao 1,1% verificados em 2005, o resultado foi inferior.

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário, divulgada nesta terça-feira (13) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em dezembro, houve variação de -0,3% na comparação com novembro, na série livre de influências sazonais. Este é o terceiro resultado negativo consecutivo.

Porém, em relação ao último mês de 2005, a alta no nível de emprego da indústria brasileira atingiu 0,8%, o que representa o melhor resultado desde julho de 2005, quando a variação atingiu 1,2%.

Aumento em 12 segmentos

Aprenda a investir na bolsa

Entre dezembro de 2005 e o mesmo mês do ano passado, o emprego apresentou crescimento em 12 dos 18 segmentos industriais pesquisados.

Os destaques positivos ficaram com os setores de alimentos e bebidas (7,2%), refino de petróleo e produção de álcool (16,9%) e meios de transporte (2,4%).

Por outro lado, as demissões superaram as contratações em 6 ramos, com destaque para calçados e artigos de couro (-11,4%), vestuário (-5,8%) e papel e gráfica (-2,5%).

Mais empregos em 10 locais pesquisados

Dos 14 locais pesquisados, dez apresentaram alta no índice de emprego, sendo que os destaques ficaram com a região Norte e Centro-Oeste (8,6%), São Paulo (1,3%) e região Nordeste (1,5%).

Entre os locais que apresentaram queda no emprego na comparação anual, o IBGE destaca o Rio Grande do Sul (-6,2%), Paraná (-1,1%) e Minas Gerais (-0,8%).