IBGE: emprego industrial fecha julho com recuo de 7%

Resultado é frente a julho de 2008 e acumulado fechou com queda de 5,4%; maiores pressões vieram das regiões Norte e Centro-Oeste e de SP

SÃO PAULO – A taxa de emprego na indústria brasileira recuou 7% em julho, frente ao mesmo mês do ano passado, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário.

Segundo os dados divulgados nesta terça-feira (8) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na comparação com junho, sem ajustes sazonais, houve alta de 0,4% no emprego industrial, a primeira taxa positiva na comparação mês a mês do ano.

No acumulado do ano, o recuo foi de 5,4%, e no acumulado dos últimos 12 meses também houve queda, de 2,7%, mantendo a trajetória descendente iniciada em agosto do ano anterior, quando a variação foi de 3%.

PUBLICIDADE

Análise regional e setorial

Em julho, na comparação com o mesmo mês do ano passado, as 14 localidades pesquisadas diminuíram seu contingente de trabalhadores, com destaque para as regiões São Paulo (-5,2%), Minas Gerais (-12,2%), regiões Norte e Centro-Oeste (-10,8%) e Rio Grande do Sul (-9,1%).

Entre os setores, 17 dos 18 tiveram resultados negativos na comparação com o mesmo período de 2008, com destaque para meios de transporte (-12,9%), máquinas e equipamentos (-12,3%),
produtos de metal (-11,7%), e vestuário (-8,7%).

Para a queda de 5,4% nos sete primeiros meses do ano, as indústrias com as maiores contribuições foram: vestuário (-9,1%), meios de transporte (-8,4%), máquinas e equipamentos (-7,7%) e calçados e artigos de couro (-10,7%).

Já com relação às regiões, as 14 localidades contribuíram para a queda no acumulado do ano. Novamente os estados de São Paulo (-4,1%), Minas Gerais (-7,5%), as regiões Norte e Centro Oeste (-8,7%) e Rio Grande do Sul (-7,1%) foram os que mais contribuíram para o índice negativo.