IBGE: em outubro, taxa de desemprego permanece como a menor desde 2002

População desempregada diminuiu 1,4 ponto percentual frente a outubro de 2009 e se manteve estável frente a setembro

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em outubro, a taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País permanece como a menor desde o ano de 2002, início da série histórica do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O nível de desocupação permaneceu estável frente a setembro e recuou 1,4 ponto percentual frente a outubro de 2009, quando estava em 7,5%. Com isso, a taxa de desemprego ficou em 6,1% no mês, mostra Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada nesta quinta-feira (25).

A população desocupada no décimo mês do ano foi estimada em 1,4 milhão, com queda de 17,6% frente ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com setembro, houve estabilidade no número de pessoas desocupadas.

Aprenda a investir na bolsa

No acumulado de 2010, a média da taxa de desocupação foi de 7%, um decréscimo de 1,3 ponto percentual em comparação com igual período de 2009, quando o índice foi de 8,3%.

Regiões
No décimo mês do ano, não houve variações significativas nas taxas de desocupação das capitais pesquisadas frente a setembro. Contudo, na comparação anual, houve queda em todas elas, exceto no Rio de Janeiro, que manteve praticamente a mesma taxa no período, de 5,6% para 5,7%.

Nas demais regiões, os destaques ficaram com São Paulo, com queda de 2,7 pontos percentuais; Recife, que registrou queda de 1,5 ponto percentual; e Porto Alegre, onde o recuo foi de 1,4 ponto percentual.

LocalOutubro de 2009Outubro de 2010
Recife9,5%8%
Salvador10,4%9,9%
Belo Horizonte6,1%5,3%
Rio de Janeiro5,6%5,7%
São Paulo8,6%5,9%
Porto Alegre5,1%3,7%
Total7,5%6,1%

Ocupados
Em outubro, a população ocupada (22,3 milhões) apresentou alta de 3,9% frente ao mesmo mês de 2009 e estabilidade na comparação com setembro.

Sobre o perfil dos contratados, a pesquisa indica que o contingente de trabalhadores com carteira assinada (10,3 milhões) ficou estável em relação a setembro e cresceu 8,4% no ano.