IBGE: em 2007, mulheres recebiam em torno de 70% do rendimento dos homens

No ano passado, enquanto os brasileiros do sexo masculino ganhavam R$ 1.314,43, as mulheres recebiam R$ 927,09

SÃO PAULO – Comparando a média anual dos rendimentos dos homens e das mulheres no ano passado, verifica-se que as brasileiras recebiam, em média, 70% do valor dos trabalhadores do sexo masculino, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira (24) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em 2007, enquanto os homens ganhavam em torno de R$ 1.314,43, as mulheres recebiam R$ 927,09. Na comparação anual, o rendimento médio mensal dos trabalhadores do sexo masculino cresceu 3,3%, mesmo percentual das mulheres.

Recife, Rio de Janeiro e São Paulo tiveram variações do rendimento das mulheres, de 2006 para 2007, superiores às dos homens e, em Salvador, Belo Horizonte e Porto Alegre, deu-se o contrário.

Renda geral

PUBLICIDADE

No geral, o rendimento médio real da população era de R$ 1.141,92 no segundo semestre de 2007, o que significa 4,9% a menos do que no mesmo período de 2002, quando a média era de R$ 1.200,19.

No entanto, segundo o IBGE, apesar da visível recuperação do rendimento da população ocupada nos últimos três anos, ainda não foi retomado o poder de compra do rendimento do trabalho da população em relação ao ano de 2002 nas regiões metropolitanas investigadas.

Setores

Entre 2003 e 2007, o rendimento dos trabalhadores aumentou em todos os segmentos analisados, com destaque para serviços domésticos (15,9%) e indústria extrativa, de transformação e distribuição de eletricidade, gás e água (11,9%).

No primeiro caso, as maiores altas foram verificadas em Recife e Salvador, 25,6% cada. Já no segundo, a alta no rendimento foi maior no Rio de Janeiro (16,6%) e em Belo Horizonte (15,1%).

Por outro lado, o setor da construção, cujo aumento geral foi de 7,1% entre 2003 e 2007, apresentou queda no rendimento em Recife (-15,2%) e Salvador (-15,1%). Nos mesmos lugares, também houve redução, de -0,6% e -1%, respectivamente, no segmento de serviços prestados à empresa, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira.

Rendimento menor para negros e pardos

Ainda de acordo com o Instituto, o rendimento de negros e pardos cresceu 11,4% em quatro anos, contra 8,8% dos trabalhadores brancos. No entanto, os negros e pardos (R$ 721,78 em 2007) ganham, em média, menos da metade do valor recebido pelos brancos (R$ 1.453,91).

A maior diferença foi verificada em Salvador, onde os brancos recebiam, em média, R$ 1.840,68 em 2007, e os negros e pardos, R$ 715,16. Já a menor discrepância ocorria em Porto Alegre: R$ 1.153,51 para os brancos e R$ 708,24 para os negros e pardos.