IBGE: em 2004, empresas e organizações ocupavam 37,6 milhões de pessoas

Além disso, 52,3% das 5,4 milhões dos negócios que atuavam em 2004 concentravam-se na Região Sudeste

SÃO PAULO – O Cadastro Central de Empresas (Cempre) registrou 5,4 milhões de empresas e outras organizações ativas com inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) em 2004.

Deste total, 90,3% eram empresas, 0,3% eram órgãos da administração pública e 9,4% eram entidades sem fins lucrativos. E juntas, essas organizações empregavam 37,6 milhões de pessoas, das quais 30,4 milhões eram assalariadas e 7,2 milhões eram sócias ou proprietárias.

Os dados, divulgados na última quarta-feira (11), fazem parte da “Estatística do Cadastro Central de Empresas 2004”, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Análise setorial

PUBLICIDADE

Em 2004, as Indústrias de Transformação responderam pelo maior percentual (30,4%) de pessoal assalariado entre os setores. O Comércio, reparação de veículos automotores, objetos pessoais e domésticos ficou em segundo lugar, com 25,7%.

Considerando o número de empresas, o segmento campeão, com 54,1% de participação, foi o Comércio, reparação de veículos automotores, objetos pessoais e domésticos, seguido das Atividades imobiliárias, aluguéis e serviços prestados, com 12,8%.

Análise regional

Mais da metade das 5,4 milhões de empresas e outras organizações que atuavam em 2004 estava concentrada no Sudeste (52,3%), especialmente em São Paulo (30,2%). Na segunda posição vinha a Região Sul, com 18,9% de participação.

O Nordeste, por sua vez, ficou com o terceiro lugar e 16,6% das empresas e organizações brasileiras, seguido do Centro-Oeste, que teve 7,8% de participação e do Norte, com 4,5%.

Em relação à participação do pessoal ocupado, o Sudeste ficou com 52,3% de participação, seguido do Sul (18%), do Nordeste (16,6%), Centro-Oeste (7%) e Norte (4,5%).

Saldo de novas empresas

Ainda de acordo com o levantamento, 716.604 novas empresas surgiram em 2004, o que representou um aumento de 1,537 milhão de pessoas ocupadas. Por outro lado, 529.587 empresas foram extintas, resultando na redução de 991.387 ocupações.

Com isso, o saldo líquido do período foi positivo em 187.017 empresas e 546.063 pessoas ocupadas, na comparação com o ano anterior. Além disso, pode-se constatar que, para cada dez empresas criadas, cerca de sete foram fechadas.

No mesmo ano, os negócios com até 4 empregados concentraram 94% das empresas criadas e 61,9% do pessoal ocupado correspondente. No entanto, também responderam por 96,7% das empresas e 72,4% das ocupações extintas.