¿Habla español? Cuidado com os mal-entendidos nos negócios

Diante do inglês, português é muito mais parecido com o espanhol. Mas existem grandes diferenças entre as duas línguas

SÃO PAULO – Com a crescente influência dos países latinos no Brasil, e com o progresso do Mercosul, o conhecimento do idioma espanhol tem sido cada vez mais requisitado para vagas nas empresas. O problema é que muitos profissionais deixam para a última hora a aprendizagem do idioma e acabam usando o popularmente conhecido “portunhol”.

É verdade que, diante do inglês, do mandarim ou do alemão, o português é muito mais parecido com o espanhol. Entretanto, existem grandes diferenças entre as duas línguas. “A base do espanhol é similar à do português. Costumo dizer que são idiomas primos, mas não irmãos. As diferenças são várias”, salienta a tradutora juramentada e diretora do CLL – Centro Latino de Línguas, Susana Zipman.

Gafes

Justamente essas diferenças podem ocasionar gafes e mal-entendidos, o que é muito perigoso em uma negociação, por exemplo.

PUBLICIDADE

“Em uma viagem de negócios, o portunhol pode causar constrangimentos que podem ser fatais para a estabilidade no emprego, pois uma simples palavra pode ofender alguém, ou até mesmo fazer o executivo assinar um contrato que não é vantajoso”, opina Susana.

Estamos falando aqui dos falsos amigos, também chamados falsos cognatos. “Os falsos amigos são heterosemânticos, ou seja, palavras que podem ser muito parecidas, às vezes quase iguais, mas que têm outro significado, dando lugar a uma série de mal-entendidos”.

A diretora do CLL cita alguns exemplos do que pode acontecer: “estafa, em espanhol, significa roubo contábil”. Se estiver se referindo a cansaço, o melhor é dizer “surmenage”. Já “apellido” e “sobrenombre” são palavras que significam justamente o contrário das similares em português, isto é, “apellido” significa sobrenome e “sobrenombre” significa apelido.