Brasil

Greve dos bancários completa uma semana com adesão de 32 mil profissionais

Bancários pedem reajuste salarial de 11,93%, enquanto a Fenaban oferece reajuste de 6,1%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A greve dos bancos completa uma semana nesta quarta-feira. Segundo um balanço divulgado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região 683 locais de trabalho (sendo 15 centros administrativos e 668 agências) fecharam nesta quarta-feira (25) e com isso 32 mil trabalhadores participam das paralisações.

“A paralisação ganhou a adesão de um importante setor estratégico que é o call center. A greve só vai acabar quando os bancos apresentarem uma proposta que contemple aumento real, PLR maior, valorização nos pisos e verbas e soluções para questões de saúde e condições de trabalho”, disse a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Juvandia Moreira.

Na próxima quinta-feira, os bancários devem voltar a se reunir para assembleia organizativa.

PUBLICIDADE

Sobre a greve
Os bancários entraram em greve no dia 19. O motivo da paralisação é a falta de acordo com a Fenaban (Federação dos Bancos). Entre as reivindicações da categoria estão reajuste salarial de 11,93%, o que representa um aumento real de 5%. Entretanto, os bancos ofereceram aumento de 6,1%.