Grande SP corta vagas de trabalho em setembro e apenas o comércio escapa

Contingente ocupado reduziu-se em 23 mil pessoas; com exceção do comércio (+55 mil vagas), demais setores demitiram no mês

SÃO PAULO – O índice de ocupação na região metropolitana de São Paulo, no mês de setembro, permaneceu relativamente estável (-0,3%), na comparação a agosto.

A taxa de desemprego recuou de 17,1% para 16,9% da PEA (População Economicamente Ativa) no período, e na mesma direção, o mercado de trabalho na Grande São Paulo revelou redução de 23 mil pessoas no contingente de ocupados em setembro, que passou para 8,321 milhões de trabalhadores.

Na comparação com setembro de 2004 houve incremento de 1,2% na força de trabalho, com a geração de 101 mil ocupações.

PUBLICIDADE

Os dados são da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), realizada pela Fundação Seade, em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos), e divulgada nesta terça-feira (25).

Ocupação por setor

Um pequeno recuo no nível de ocupação no mês de setembro foi observado na Indústria (-0,2%) que dispensou 4 mil. Em seguida, o setor de Serviços cortou 29 mil vagas (-0,6%), após quatro meses de crescimento consecutivos e pequena variação negativa de 0,1% já no mês de agosto. Por sua vez, o Comércio teve um acréscimo de 4,3% nas contratações em setembro frente a agosto, com 55 mil vagas.

Na comparação com o mesmo período de 2004, o Comércio registrou alta de 6,5% nas contratações e aumento de 82 mil pessoas no quadro de funcionários – maior alta entre os segmentos. O grupo Serviços também contratou mais no último ano: foram 54 mil vagas preenchidas, alta de 1,2%. Já a Indústria admitiu menos, com alta de 0,8% e 12 mil contratações.

Empregos formais ajudaram no resultado

De acordo com a PED, a alta de 0,3% no número de assalariados no mês de setembro é reflexo do bom desempenho do setor privado. No total foram criados 40 mil empregos com carteira assinada e eliminados outros 3 mil sem carteira, saldo positivo de 37 mil ocupações. Ao mesmo tempo, aumentou o número de trabalhadores autônomos (12 mil) no mês passado.

Nas demais posições ocupacionais, o contingente de trabalhadores reduxiu-se em 53 mil de agosto para setembro. Constam na categoria os empregadores, empregadores domésticos, profissionais liberais, donos de negócio familiar, entre outros.

Para mais detalhes sobre a pesquisa que mediu o desemprego na região metropolitana de São Paulo, clique aqui .