Reforma

Governo não vai elevar jornada de 8 horas, diz ministro do Trabalho a jornal

A proposta de aumento da jornada de trabalho de 8h para 12h diárias, considerando horas extras, foi divulgada nesta quinta-feira (8)

(Wikimedia Commons)

SÃO PAULO – Após suas declarações sobre a reforma trabalhista criarem polêmica e repercussão negativa, o ministro do trabalho Ronaldo Nogueira contou que recebeu uma ligação do presidente Michel Temer na noite desta quinta-feira (8).

Ele contou foi orientado a “reafirmar que o governo não vai elevar jornada de 8 horas nem tirar direitos dos trabalhadores”, segundo informações do jornal Estado de S. Paulo.

O ministro reforçou que a jornada de trabalho padrão continuará sendo de 8 horas diárias e 44 horas semanais. A reforma trabalhista proposta vai permitir que a jornada de trabalho seja apenas flexibilizada durante a semana; isso significa que a jornada de trabalho diária poderá ser de até 12 horas e a semanal de 44 horas, além de 4 horas extras.

PUBLICIDADE

Uma das práticas que a medida vai legitimar é, por exemplo, a compensação das horas de sábado em dias úteis. Hoje, essa prática pode ser questionada na Justiça.

A proposta de aumento da jornada de trabalho de 8h para 12h diárias, considerando horas extras, foi divulgada nesta quinta-feira (8) pela Folha de S. Paulo