Governo deve manter correção da tabela do IR em 4,5%, diz ministro

Segundo o ministro das Relações Institucionais, a correção só será definida depois que a questão do salário mínimo for resolvida

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, afirmou nesta terça-feira (22) que o governo tem a intenção de manter a proposta de corrigir em 4,5% a tabela do imposto de renda da pessoa física.

De acordo com Sérgio, a correção da tabela é pela meta inflacionária prevista para este ano. “Mas só depois que for superada a questão do salário mínimo e a lei for publicada e sancionada”, afirmou o ministro, segundo a Agência Brasil.

Os sindicalistas defendem uma correção de 6,46%.

Aprenda a investir na bolsa

Um dia antes, o secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, havia afirmado que todos os estudos para a correção da tabela do imposto de renda para este ano já estão prontos e que aguarda a decisão política sobre qual será o reajuste, para poder preparar o ato legal da mudança.

Salário mínimo
O governo espera ainda que o Senado aprove na quarta-feira (23) o projeto que reajusta o salário mínimo para R$ 545, como foi aprovado pela Câmara dos Deputados.

Em relação à forma de reajuste do mínimo, se será por lei ou por decreto, o ministro de Relações Institucionais afirmou que já há jurisprudência envolvendo o STF (Supremo Tribunal Federal). “O salário dos ministros do STF é baseado em lei e regulamentado por decreto”, argumentou Sérgio.