Geração X é a que mais pensa em deixar o emprego, revela estudo

De acordo com o estudo, entre os profissionais desta geração, a intenção de trocar de emprego em breve é de 43%

SÃO PAULO – A geração X, formada por profissionais nascidos entre 1965 e 1976, é a que mais pensa em deixar o emprego, segundo revela pesquisa realizada pela Kelly Global Consultoria, com aproximadamente 170 mil profissionais em 30 países.

De acordo com o estudo, entre os profissionais desta geração, a intenção de trocar de emprego em breve é de 43%, número cinco pontos percentuais maior do que o verificado na geração Y, nascidos de 1977 a 1990, de 38%, e seis pontos acima do apurado entre os chamados baby-boomers (37%), que nasceram entre 1946 e 1964.

Considerando todas as gerações, a média de pessoas que pensam frequentemente em deixar o emprego é de 37%.

PUBLICIDADE

Vai dizer ao patrão?
Ainda conforme o levantamento, no geral, 35% dos entrevistados não têm a intenção de comunicar sua vontade de se desligar da empresa com o patrão.

Por geração, este percentual sobe para 42% entre os baby-boomers e para 40% entre os profissionais da geração X. A geração Y é a que demonstra menos problemas em colocar sua insatisfação para buscar uma solução, já que apenas 33% destes profissionais disseram que não gostariam de falar sobre suas intenções com a empresa.

Trabalho
No que diz respeito ao significado do trabalho, o estudo mostra que a geração Y é a que mais associa trabalho com desenvolvimento pessoal (77%) e com envolvimento comunitário (29%).

Já os profissionais da geração X são os que mais associam trabalho com as conexões às estratégias corporativas (35%), enquanto que os baby-boomers são os que associam ao alinhamento com os valores pessoais (47%) e com a conexão com colegas (44%, mesmo percentual da geração Y).