Geografia: satélites e internet facilitam e abrem novas frentes à pesquisa

Recursos têm proporcionado ao geógrafo um estudo muito mais detalhado, e preciso, dos aspectos físicos do mundo

SÃO PAULO – Não dá para pensar em geografia sem associá-la a vários mapas, nomes de países, estados e muitas, muitas capitais diferentes que jamais, durante todo o tempo de ensino fundamental e médio, conseguimos memorizar. Mas a carreira é muito mais do que isso, e tem evoluído bastante ao ritmo do avanço tecnológico.

Internet, fotos de satélite e muitos outros recursos têm proporcionado ao geógrafo um estudo muito mais detalhado, e preciso, dos aspectos físicos do mundo (rios, lagos, oceanos e montanhas), investigando também os ecossistemas (da atmosfera ao subsolo).

O profissional estuda o solo, o relevo, o clima, a distribuição das águas e a vegetação. Estuda a relação da sociedade com o meio ambiente, elabora e analisa mapas, observa fenômenos como erosão, desmatamento etc. Isso sem falar na possibilidade de dar aulas…quem não lembra do seu professor de geografia do colégio?

Capacitação permanente

PUBLICIDADE

Os interessados por esta profissão devem ter em mente que o estudo será uma constante. Isso porque, frente ao dinamismo da área, é preciso estar sempre atualizado a respeito das informações, fontes de novos estudos e descobertas. Quanto ao gosto pela leitura, nem se fala!

Compõem o perfil deste profissional a capacidade de análise e interpretação de dados, exatidão, objetividade, interesse por questões sociais, habilidade para se comunicar e de lidar com o público.

Ecologia: novas perspectivas de trabalho

A luta pela preservação do meio ambiente e o turismo ecológico têm proporcionado ao geógrafo novas frentes de trabalho, em empresas que estudam a ecologia, em ONGs (organizações não governamentais), secretarias estaduais e municipais de planejamento urbano e turismo, entre outros.

Cabe ao profissional observar o impacto ambiental da poluição, sugerir soluções para a ocupação do solo sem causar agressões à natureza, por exemplo. O geógrafo ainda pode trabalhar com planejamento urbano, mapeando zonas de incidência maior de determinadas doenças.

Além de se dedicar ao ensino, pode ainda trabalhar em empresas públicas e privadas, instituições de pesquisa etc.

Sobre o curso

O curso de geografia possui uma duração mínima de quatro anos. O estudante pode optar pela Licenciatura (para lecionar no ensino fundamental e médio) ou pelo Bacharelado (para trabalho como autônomo e em empresas públicas e privadas). Pode ainda optar por garantir o diploma nas duas modalidades, porém a duração mínima do curso passa para cinco anos.

As disciplinas, para as duas possibilidades, são praticamente obrigatórias. O aluno terá acesso a matérias consideradas básicas, como Cartografia, Climatologia, Geomorfologia, Geografia da População, entre outras. As atividades em laboratório oferecem ao universitário a chance de colocar seus conhecimentos em prática.

Como especialização, o profissional terá três áreas de escolha: ambiental (envolve climatologia, geomorfologia, gestão hídrica e de recursos naturais); representação espacial (cartografia, geoprocessamento e análise de fotografias aéreas) e humana (envolve o planejamento regional e urbano).