Fobias: saiba o que são e como elas prejudicam a carreira

Elas são mais fortes do que medo e podem fazer com que profissional perca oportunidades, como uma viagem de negócios

SÃO PAULO – O estresse do dia-a-dia pode ajudar no desenvolvimento de fobias, que são mais intensas do que o medo ou o desconforto e podem prejudicar a carreira de um profissional.

“A pessoa tem a forte sensação de se sentir mal, além do fato de precisar evitar a qualquer preço o objeto ou a situação”, disse o presidente da Sociedade Latino-Americana de Programação Neurolinguística, André Percia, sobre o significa de fobia.

Ainda de acordo com ele, as fobias podem ser separadas em três classificações: agorafobia (medo de estar em local público onde há dificuldade de retirar-se), fobia social (medo perante situações nas quais a pessoa possa estar exposta à observação, a comentários ou à humilhação) e a fobia simples (medo diante de objetos ou situações concretas).

PUBLICIDADE

Dessa forma, as fobias podem prejudicar a carreira de um profissional, uma vez que podem chegar ao extremo de impedi-lo de sair de casa, de iniciar relacionamentos, de falar em público, de andar de avião e, até mesmo, de andar de elevador.

Como contornar a situação?
Uma forma de encarar a fobia é por meio da técnica denominada programação neurolinguística, que, de acordo com Percia, faz com que as pessoas tenham uma reação diferente e mais saudável diante das fobias, em um tempo menor.

Ele aponta uma sequência de processos que a pessoa deve seguir, que começa com pensar a última vez que a fobia se manifestou, relaxar e respirar com tranquilidade. No entanto, diante da situação de fobia, a pessoa deve colocar o foco em outra coisa, pessoa ou situação.

Um exemplo: imagine que você é convidado a fazer uma viagem de negócios, mas morre de medo de andar de avião, o que será realmente necessário. Você vai negar e perder oportunidades? Em vez disso, recomenda-se que a pessoa leia um livro ou ouça suas músicas preferidas no voo, distraindo-se e tentando ao máximo se distanciar da situação vivenciada.

“Além disso, pratique diariamente ter atitudes e comportamentos mais saudáveis que, de alguma forma, contribuam para um resultado diferente, desfazendo sempre que possível a sequência que construía o estado da fobia”.