Filhos e carreira: cai número de mulheres que acreditam ser ideal trabalho integral!

Em contraposição, sobe número das que preferem meio-período; entre os homens, trabalhar o dia todo é a melhor escolha

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Se nos anos 70, 32% das mães norte-americanas que trabalhavam e tinham filhos com idade abaixo de 18 anos acreditavam que o emprego em período integral era ideal, este número já caiu para 21% este ano, de acordo com pesquisa realizada pelo Pew Research Center.

Em contraposição, cresceu a quantidade de mães que preferem o emprego de meio-período: de 48% na década de 70 para 60% em 2007. Já o número de mulheres que acreditam que não trabalhar é o ideal caiu de 20% para 19% no período analisado.

Dentre as mães que não trabalham, os dados referentes a 2007 mostram que 16% acreditam que o ideal é o período integral, ante 33% que preferem o meio-período e 48% que afirmam que o ideal é não trabalhar.

Mães e pais

Aprenda a investir na bolsa

Enquanto trabalhar em período integral caiu na percepção das mulheres do que seria ideal para sua vida profissional, o índice de homens que apostam na prática para a carreira se mantém alto, em 72%. Trabalhar em meio-período recebeu apenas 12% de respostas entre eles, enquanto não trabalhar, 16%.

No julgamento do que é melhor para os filhos, enquanto as mães que trabalham acreditam que seja o emprego em meio-período, com 52% das respostas, entre as mulheres que não trabalham, a melhor opção é ficar em casa, com 44%.

As dez dicas preciosas

O fato de ter filhos não significa deixar a carreira de lado. É claro que, logo que nascem, os bebês devem ter prioridade. Mas como muitas mães fazem, é possível equilibrar vida profissional e pessoal. Veja algumas dicas abaixo:

  • em primeiro lugar, a mulher deve se preparar para cada fase de sua vida e de seu dia, para que possa se programar;
  • cada mulher tem um ritmo e isso deve ser respeitado;
  • elimine todo o tipo de estresse desnecessário com controle de seu temperamento;
  • curta melhor cada momento em casa, desperdiçando-o não somente em frente à TV, mas com filhos e marido;
  • peça ajuda quando precisar para que não se sinta sobrecarregada;
  • não sofra antecipadamente, pois é preciso lidar com uma questão de cada vez para que todas sejam bem feitas;
  • aprenda a administrar seus sentimentos, por mais que seja difícil diante das mudanças hormonais;
  • concentre-se no que está fazendo;
  • não se cobre tanto, o que pode gerar ansiedade e frustração;
  • por fim, converse bastante com sua família, peça colaboração e divida seus sonhos, o que fará com que as pessoas tenham prazer em participar de suas realizações.