FGTS: tem início em 15/01 nova fase de pagamento dos créditos complementares

De acordo com a Caixa, recursos injetados na economia somam R$ 1,5 bilhão; adesões ao acordo superaram 32 milhões

SÃO PAULO – Quem tem o direito a receber as perdas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) referente aos planos econômicos Verão e Collor 1, cujos créditos sejam superiores a R$ 8 mil, tem um motivo a mais para comemorar nos próximos dias.

Na próxima quinta-feira, dia 15 de janeiro, a Caixa Econômica Federal irá liberar a primeira parcela dos créditos complementares do FGTS para estas pessoas. Além disso, a Caixa também pagará a terceira parcela para quem tem valores a receber entre R$ 2 mil e R$ 5 mil e a segunda parcela para as pessoas com créditos entre R$ 5 mil e R$ 8 mil.

Injeção de recursos na economia chega a R$ 1,5 bilhão

Neste sentido, de acordo com os dados disponibilizados pela Caixa, serão creditados R$ 2,1 bilhões em mais de 1,6 milhão de contas do FGTS, dentre as quais um total de 1.481.013 poderão efetuar o saque já na referida data. Com relação ao restante (136.755), os recursos ficarão depositados no FGTS em nome do trabalhador, segundo as informações da CEF.

PUBLICIDADE

Em termos monetários, dentre as contas que poderão ser sacadas, serão pagos no balcão R$ 626,7 milhões, além dos R$ 782,1 milhões que serão creditados nas contas bancárias apontadas pelos trabalhadores no Termo de Adesão, somando, assim, uma injeção de recursos na economia da ordem de R$ 1,5 bilhão.

Como funciona o pagamento do FGTS

Vale lembrar que têm direito ao crédito complementar do FGTS apenas os trabalhadores que assinaram o Termo de Adesão ao acordo firmado entre o governo e as centrais sindicais. Quem tinha ação na Justiça e optou por assinar o Termo, automaticamente abriu mão do processo e receberá o dinheiro de acordo com os termos definidos pelo acordo.

A partir da adesão ao acordo, os trabalhadores começam a receber o crédito em 30 dias após a assinatura do Termo, assim como a primeira mensalidade do parcelamento de créditos superiores a R$ 1 mil, isto para quem deixou para fazer a adesão após o calendário inicial divulgado. O prazo para aderir ao acordo terminou em 30 de dezembro último. Para quem quiser reaver as perdas do FGTS a única maneira disponível no momento é a Justiça.

De acordo com os números divulgados pela Caixa nesta terça-feira, dia 13 de janeiro, foram registradas 32.164.274 adesões ao acordo, acima das expectativas da instituição, que era de algo em torno de 32 milhões. Deste total, 1.896.639 foram assinadas por quem tinha ação na Justiça contra o FGTS, os chamados termos azuis.

Calendário de pagamento

Alguns trabalhadores têm o direito ao saque imediato e integral dos créditos, como em situações que envolvem doenças graves (câncer ou Aids, por exemplo) por parte do trabalhador ou de seus dependentes; e, aposentadoria por idade ou invalidez, desde que o crédito não ultrapasse a faixa de R$ 2.000.

Os demais trabalhadores devem respeitar o parcelamento previsto pela Lei Complementar 110/01, conforme demonstrado na tabela abaixo:

























Valor a receberDesconto (deságio)Forma de pagamento
Até R$ 1.000,00—– À vista
De R$ 1.000,01 a R$ 2.000,00—–2 parcelas semestrais
De 2.000,01 até R$ 5.000,008%5 parcelas semestrais
De R$ 5.000,01 até R$ 8.000,0012%7 parcelas semestrais
A partir de R$ 8.000,0015%7 parcelas semestrais

Maiores informações podem ser obtidas através da internet no site www.caixa.gov.br ou pelo Disque-Caixa nos telefones (11) 4196.6601 (Grande São Paulo) ou 0800.550101 (Demais regiões).