Fez um planejamento de carreira no começo do ano? Chegou a hora da revisão

Começo de julho é a época ideal para o profissional rever as ações que foram tomadas no primeiro semestre do ano

SÃO PAULO – No começo do ano, é comum que os profissionais façam um planejamento de sua carreira para os próximos 12 meses. Se esse é o seu caso, o segundo semestre é a hora de realizar uma revisão. É o que aconselha especialistas ouvidos pelo Portal InfoMoney.

Para a diretora-executiva da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Izabel de Almeida, o começo de julho é a época ideal para o profissional rever as ações que foram tomadas no primeiro semestre do ano e principalmente os resultados alcançados até o momento.

“Se tudo correu conforme o previsto e o resultado era o esperado, está ótimo. Mas, se houve alguma dificuldade, é importante rever as ações para saber em que melhorar. A pessoa tem de fazer uma auditoria do próprio planejamento”, aconselha.

PUBLICIDADE

A orientadora vocacional e coordenadora do Departamento de Carreiras da Veris Faculdades, Jamile Ferraresso, aconselha ainda que o profissional encontre alguma maneira de medir os resultados alcançados desde começo.

“É importante especificar o seu objetivo e encontrar um maneira de mensurar o que deseja, assim é possível acompanhar a evolução do planejamento. Se algo não sair como previa, por falta de recursos financeiros, ou outros motivos, o profissional pode encontrar uma alternativa”, diz.

Nova meta
Já se o objetivo do profissional mudou no decorrer do ano, ele tem de traçar um novo plano. Mas o trabalho não partirá do zero: ele pode aproveitar o planejamento antigo e readaptar o passo a passo feito anteriormente.

Muitas vezes este novo realinhamento deve ser feito porque o profissional superestimou a sua capacidade, influenciado pelo entusiasmo do começo do ano. De acordo com Jamile, para que o planejamento tenha sucesso, a meta almejada tem de ser viável; por isso, nada de sonhar com oportunidades impossíveis de serem alcançadas neste momento.

Por fim, Izabel aconselha que o profissional procure a ajuda do chefe, para que ele possa compartilhar as experiências e sugerir novas ações.

“O gestor pode ajudar neste momento. O profissional deve lembrar que muitas vezes a meta deve ser mudada não por uma falha dele, mas por influência de outros fatores. Se for por erro dele, ele deve ter maturidade para assumir o erro. Além da maturidade, a tranquilidade também tem de estar presente neste momento”, finaliza.