Férias: um bom momento para estudar?

Fique atento aos seus objetivos; frente à competição do mercado de trabalho, buscar o aperfeiçoamento é sempre positivo

SÃO PAULO – Férias combinam com diversão, montanha, passeio, praia ou piscina, certo? Nem sempre! Dependendo dos seus objetivos, este pode ser um ótimo momento para estudar.

Tudo bem que, logo de início, isto parece completamente fora de propósito, mas pense que se trata de praticamente um mês, onde você pode se aperfeiçoar em algo que seja do seu interesse.

Procure aliar dever à diversão

Fazer um curso nas férias não precisa ser exatamente um sacrifício. É possível realizar esta tarefa com prazer, desde que você procure algo que realmente lhe interesse.

PUBLICIDADE

A iniciativa é extremamente válida para melhorar o seu currículo. Lembre-se que a concorrência, a cada dia, fica maior, e que você pode avançar alguns passos significativos, enquanto outros simplesmente descansam.

Para isso, procure analisar quais atribuições não lhe foram satisfatórias até agora: como vai o seu inglês? Tem algum conhecimento de espanhol? Sua relação com a informática vai além da troca de e-mails e visitas a portais da internet? Identificado seu ponto, digamos, fraco, procure informações sobre cursos disponíveis.

Atenção às possibilidades

Escolhido o seu objetivo, tome cuidado para não cair em conversas muito mais que enganosas. Não espere sair falando inglês da noite para o dia, se você nunca fez um curso do idioma, ou entender tudo dos novos programas de computador, caso não tenha muita afinidade com a “máquina”. Existem muitas escolas por aí que prometem muito mais do que pode ser cumprido, e os mais desavisados acabam caindo na armadilha.

Opte por escolas conceituadas ou procure a indicação de amigos ou familiares seus. Isto evita dores de cabeça e, principalmente, diminui a chance de você se frustrar frente ao seu investimento.

Outra opção está bem próxima de você: é a faculdade onde estuda. Geralmente, durante as férias, estas instituições de ensino programam alguns cursos ou até mesmo, por meio de convênios com algumas escolas, divulgam iniciativas interessantes que poderão lhe ajudar.

Treinamento alternativo

Caso você esteja sem dinheiro para investir neste propósito, pode ainda optar por programas alternativos. Que tal reunir um grupo de amigos e um professor particular de inglês, por exemplo, e treinar o idioma? O preço neste caso é bem menor e, em um ambiente descontraído, com pessoas das quais você gosta, o aprendizado se torna mais prazeroso.

Uma outra opção é procurar um estágio de férias. Muitas empresas possuem programas deste tipo. Neste caso, você adquire experiência profissional e consegue ficar por dentro da rotina do mundo corporativo. É claro que esta é uma alternativa que não se conquista do dia para noite. Portanto, caso haja interesse da sua parte, informe-se melhor e programe-se!

Já para quem pode gastar, a sugestão é uma viagem ao exterior, para aperfeiçoar o idioma da sua preferência. Neste caso, também é preciso antecedência. Organize-se para as próximas férias! Existem alguns programas que não exigem grandes gastos, uma vez que você pode aprender trabalhando em hotéis, parques temáticos e estações de esqui, por exemplo. Neste caso a hospedagem e a alimentação estão, muitas vezes, garantidos, e você ainda recebe alguma remuneração.

As opções existem, e são bastante interessantes. Cabe a você analisar quais as suas prioridades e seguir em frente!