Férias: tempo ideal para investir na carreira

Segundo presidente da Curriculum.com.br, este período é ideal para que estudantes invistam em cursos, como de inglês e informática

SÃO PAULO – O mês de julho é muito esperado pelos universitários, afinal neste período eles podem aproveitar as férias da faculdade para descansar, sair com os amigos e programar uma viagem.

Enquanto isso, as grandes empresas estão fazendo os ajustes finais para começar a divulgar em agosto os seus respectivos programas de estágio e treinee. Segundo o presidente da Curriculum.com.br, Marcelo Abrileri, as organizações iniciam estes processos seletivos em agosto devido ao fato de que elas levam cerca de quatro ou cinco meses para concluir e formar a sua nova equipe de funcionários.

Diante desse cenário, Abrileri aconselha que aquela viagem com os amigos fique para depois. “Julho costuma ser uma época em que o estudante tem mais tempo para se preparar para futuros processos seletivos. Adiar uma viagem e aproveitar para se aprimorar pode ser interessante para a carreira. Posteriormente, ele poderá colher bons frutos, quem sabe conquistando um bom estágio ou ingressando num programa de trainee”.

Cursos

PUBLICIDADE

Os estudantes podem aproveitar esse tempo sem aula para investir em outros pontos que podem auxiliar na busca de uma oportunidade no mercado de trabalho.

“O mês de férias oferece um tempo livre e precioso para o estudante que deseja se preparar melhor e se candidatar a boas oportunidades sair na frente de seus concorrentes. Cursos intensivos em idiomas, por exemplo, podem melhorar o conhecimento em um idioma e, consequentemente, auxiliar em sua empregabilidade. O mesmo conceito pode ser aplicado para cursos de informática, conhecimento este que também pode ser significativo na hora de se decidir por um candidato. Sem contar que o candidato pode se envolver ainda mais em alguns cursos específicos da sua própria área de atuação”, destaca Abrileri.

Emprego

Outra dica de Abrileri é que o estudante passe a investir em alguns pontos que possam trazer vantagens competitivas, como na elaboração de um bom currículo e no desenvolvimento de atitudes comportamentais adequadas em processos seletivos, por exemplo, evitar de falar gírias durante a entrevista com o recrutador. Isso pode ser feito por meio de leitura sobre o tema.

Para finalizar, Abrileri destaca que mesmo que trocar uma viagem de férias exija esforço e dedicação, pode ser muito compensador para o futuro. “É sempre importante pensar nas vantagens que essa atitude trará, além de ajudar no amadurecimento da pessoa que está prestes a entrar no desafiador e competitivo ambiente profissional”, finaliza.