Férias: é melhor se desligar de tudo ou aproveitar para fazer cursos?

Segundo especialistas, antes de mais nada é preciso estar ciente da diferença entre o que é 'melhor' e o que é 'ideal'

SÃO PAULO – Depois de mais um ano de trabalho, chega aquele momento tão aguardado: suas férias. Sem ter que ir para o escritório, a dúvida que surge é: o que seria mais interessante, preencher esses 30 dias com cursos ou se desligar de tudo para retornar renovado à rotina?

Antes de mais nada é preciso estar ciente da diferença entre o que é ‘melhor’ e o que é ‘ideal’. De acordo com a consultora da Multi-Labor Recursos Humanos, Marilia Neves, o melhor seria o profissional optar pelo descanso, porém, frente às exigências do mercado de trabalho, o ideal é correr atrás dos cursos.

Aproveite a juventude
Marilia ressalta, sobretudo, o caso dos mais jovens, que devem considerar dois elementos. Em primeiro lugar, esses profissionais têm a possibilidade de aproveitar sua própria juventude, ou seja, realizar um curso no período de férias será menos desgastante do que se estivessem em uma idade mais avançada.

PUBLICIDADE

Em segundo lugar, justamente por serem mais jovens e inexperientes, ainda há muito o que aprender e aprimorar. Assim, a sugestão é que faça um curso de inglês, caso seja uma limitação, ou um curso dentro da área de atuação.

A lógica é simples: pela própria dinâmica do mercado, competitivo e exigente, enquanto um recém-formado, que está no início da carreira, vai para a praia descansar, um outro estará estudando e se aprimorando, e ao retornar poderá mostrar um desempenho melhor. “Quando você é mais jovem, o mercado não lhe possibilita esse descanso no período de férias”, observa Marilia.

E os mais velhos?
No caso dos profissionais mais seniores, que já encontram-se profissionalmente maduros, a situação é inversa. Se para os mais novos a juventude permite acelerar a carreira através de cursos durante as férias, para aqueles que já estão com mais idade, focar na saúde deve ser prioridade. Passar um tempo junto com família, longe do celular, do iPad, do iPhone, do e-mail do trabalho, contribui para retomar o fôlego.

Marilia ainda lembra que o tempo livre das férias também pode ser aproveitado em outros sentidos. Se o profissional está descontente com a carreira que escolheu e gostaria de mudar de áreas, por exemplo, esse é um bom momento para correr atrás disso.

Mudar de emprego exige que o interessado tenha disponibilidade para participar de processos seletivos, e durante as férias, tempo é exatamente o que ele vai ter. Assim, caso haja dúvidas quanto a carreira escolhida, ou mesmo com a empresa em que atua, use as férias para alinhar esses pontos.