Executivos no exterior tentam retornar ao Brasil, diz pesquisa

Problema é que o tempo de recolocação dos executivos aumentou de três para seis meses, segundo projeções

SÃO PAULO – Cada vez mais executivos brasileiros que estão trabalhando no exterior querem retornar ao Brasil, constatou um levantamento da Michael Page Executive Search. No primeiro trimestre deste ano, 90 executivos com idade média de 43 anos procuraram a consultoria para fazer essa transição.

Para se ter uma ideia do aumento, no mesmo período de 2008, apenas 15 profissionais consultaram a Michael Page com o intuito de retornar ao Brasil.

O levantamento revelou que 20% desses executivos estão nos Estados Unidos, 20%, na América Latina (Chile, Peru, Venezuela, Colômbia e Argentina), 12%, na França, 10%, na Inglaterra, 30% em Portugal, na Alemanha e na Espanha, e 8%, na África e no Oriente Médio.

Tempo de recolocação

PUBLICIDADE

O problema é que o tempo de recolocação dos executivos aumentou de três para seis meses, segundo projeções da consultoria. Por mais que eles tenham experiência e boa formação, a verdade é que as empresas que estão contratando atualmente estão em processo de substituição, procurando profissionais que tenham rede de contatos local forte ou carteira de clientes consolidada.

Indicadores

Curiosamente, 90% desses executivos são do sexo masculino. Além disso, eles são originários ou trabalham atualmente nos seguintes setores:

  • Country managers/ vice-presidentes – 40%
  • Diretores financeiros – 20%
  • Diretores de marketing e vendas – 20%
  • Diretores de Recursos Humanos, Engenharia e Supply Chain – 20%