Liderança

Executivo que demitiu 900 funcionários via Zoom volta ao cargo após reflexão e amparo de coach

Caso de Vishal Garg acende alerta sobre como as companhias se comportam na área de gestão de pessoas

Por  Equipe InfoMoney -

Ele foi notícia em 2021 — e continua rendendo manchetes em 2022. Vishal Garg demitiu 900 de seus funcionários via Zoom, uma ferramenta que ganhou o mundo corporativo na vigência da pandemia de Covid-19.

Em dezembro do ano passado, o presidente-executivo da Better.com, empresa do ramo imobiliário, anunciou: “Se você está nesta chamada, você é parte de um grupo azarado que está sendo demitido. Seu contrato aqui será imediatamente rescindido”.

A demissão em massa por videochamada parou na internet e atraiu milhões de visualizações. Garg acabou afastado do cargo “com efeito imediato”, mesma expressão usada por ele na demissão coletiva.

Agora, dias depois do ocorrido, o executivo retorna ao cargo, segundo informou o conselho de diretores da empresa ao Wall Street Journal. Em uma carta endereçada aos funcionários, o conselho diz que Garg estará de volta ao comando da empresa após “ter refletido sobre sua liderança”.

O momento de reflexão também contou com ajuda de um coach corporativo. “Temos confiança em Vishal e nas mudanças que ele está comprometido a fazer para fornecer o tipo de liderança, foco e visão que a Better precisa neste momento fundamental”, disse o conselho, na carta encaminhada aos funcionários, na qual o Wall Street Journal disse ter tido acesso.

O documento também revela que o conselho expandirá a liderança da companhia e procura, inclusive, funcionários para vagas de direção e chefia de recursos humanos, dentre outras posições.

9% de demitidos

Os demitidos faziam parte de equipes de recrutamento, diversidade e inclusão e representavam 9% do total de funcionários da companhia.

Garg chegou a se desculpar, por meio de uma carta encaminhada aos funcionários, na qual disse que havia errado na execução das demissões. “Sei que a maneira como comuniquei essa notícia piorou ainda mais a difícil situação”, afirmou.

Mesmo assim, no dia seguinte ao pedido de desculpas, acabou afastado. O caso também forçou a empresa a reavaliar a sua cultura e o seu modo de liderança.

Também serviu de “case” para as companhias sobre o que não fazer na gestão de suas equipes.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe