Eventos e feiras criam vagas de trabalho: veja como conquistar uma delas!

Somente em São Paulo, grandes eventos movimentam mais de R$ 1,4 bilhão e criam cerca de 500 mil vagas temporárias

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os grandes eventos de negócios e lazer movimentam um mercado que já caminha com as “próprias pernas”. Em São Paulo, eles movimentaram mais de R$ 1,4 bilhão no ano passado, considerando apenas os gastos deixados pelos turistas. No Brasil, grandes feiras realizadas pelos sócios da Ubrafe (União Brasileira dos Promotores de Feiras) devem chegar a 172 neste ano.

Se, na conta, entrar ainda a movimentação que eventos de outras naturezas proporcionam, os ganhos para quem negocia nesse nicho são muitos. Mas as vantagens não são só para eles: esse universo de feiras e eventos também beneficia milhares de brasileiros que não estão no mercado formal de trabalho, ajudando-os na geração de renda extra ou mesmo incluindo nesse nicho jovens em início de carreira.

E as oportunidades são muitas. De acordo com dados da Ubrafe, apenas São Paulo realiza 90 mil eventos por ano, sendo considerada a capital do Mercosul de feiras de negócios. Na cidade, é realizado um evento a cada seis minutos e uma grande feira de negócios a cada três dias. Toda essa movimentação gera cerca de 500 mil empregos diretos e indiretos na cidade. Apenas as feiras consideradas de porte internacional geram cerca de 185 mil empregos temporários.

Aprenda a investir na bolsa

De agentes de segurança, recepcionistas, faxineiros a assessores de imprensa, decoradores, designers, especialistas em informática, técnicos de todos os tipos, tradutores, vendedores, especialistas em comunicação. Diversos profissionais podem ser requisitados. O perfil vai depender do tipo do evento e da empresa que o está promovendo.

E como aproveitar tanta movimentação para a carreira? Buscando informação. “Primeiro, é preciso estar listado em uma agência, pois as contratações, principalmente de grandes feiras, ocorrem por meio de agências terceirizadas”, aconselha o presidente executivo da Ubrafe, Armando Campos Mello. Depois disso, é preciso ficar atento aos calendários dos eventos. Se for chamado para um, aproveite para atualizar os contatos a fim de conseguir mais oportunidades.

Aproveitando as oportunidades
Para o consultor de Marketing do Sebrae-SP, Wlamir Bello, as feiras são ótimas oportunidades para quem não está no mercado. Contudo, para se dar bem, é preciso conhecer a estratégia do evento. “O que determina o perfil do profissional é a característica do evento, mas ele deve entender os motivos da realização desse evento e qual o seu objetivo, é institucional ou comercial?”, reforça.

Por isso, veja nesses eventos uma oportunidade não só de ganho extra, mas de conseguir, em um futuro próximo ou um pouco mais distante, uma oportunidade fixa de trabalho, como acredita a gerente de Planejamento de Carreira da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Melina Graf. “Têm pessoas que buscam os eventos por necessidade, e outras trabalham neles como uma forma de conhecer mercado”, diz.

Para os profissionais em início de carreira, principalmente, essa prática é mais saudável. “Nesses casos, o ideal é se especializar em determinadas feiras”, acredita Melina. Ou seja, agrega mais a um estudante de Nutrição o trabalho em feiras ligadas ao setor de Alimentos ou Saúde que sua participação em um evento de automóveis, por exemplo.

Por isso, ter conhecimentos na área do evento só ajuda o profissional a entrar nesse nicho – e o principal, se manter. “Aqueles que atuam em feiras são geralmente profissionais ecléticos, mas que estão capacitados e preparados para atuar e atender em determinado evento”, explica Bello. “Até para os cargos mais baixos é preciso ter conhecimentos sobre a área da feira”, ressalta o consultor.

PUBLICIDADE

Mello concorda. “Posso ser bom para atuar em determinado evento, mas não tanto para outro. É preciso estar atento ao seu mercado de atuação”, ressalta. “Mas o nível de exigência também varia muito, depende muito não só da feira, mas do setor dela que o profissional vai atuar”. Por isso, é preciso ficar de olho no mercado e aproveitar as feiras e eventos da sua área de atuação.

Como se destacar?
E como garantir uma oportunidade futura diante de um batalhão de pessoas que trabalham nesse nicho? “É preciso estar disponível e ser proativo”, diz Bello. “Em eventos, é preciso ser rápido na solução dos problemas”, ressalta. Dedicar-se durante os dias em que está ali é a dica mais importante a ser dada. “Observamos que profissionais que se destacam nesses eventos acabam sendo contratados, por isso, esse mercado é uma grande oportunidade, sim”, reforça.

“É um mercado dinâmico que gera várias oportunidades. Trabalha-se muito, mas com chefes diferentes. E a vontade e a facilidade de atender ao público deve ser a competência básica de quem quer se destacar”, acredita Mello.

Para Melina, outro importante fator que não deve ser deixado de lado é o conhecimento. “Não é só uma questão de currículo, é uma oportunidade de conhecer um mercado e de ter informações sobre determinadas áreas. É válido para o currículo, é, mas é muito mais proveitosa a questão do conhecimento, da informação”.

Por que trabalhar em feiras e grandes eventos?
O mercado de eventos deve envolver, até o fim deste ano, mais de 38 mil empresas expositoras, somente considerando as associadas da Ubrafe. Esse nicho gera mais de R$ 3,505 bilhões de receita por ano. Apenas a capital paulista concentra 75% do mercado brasileiro de feiras de negócios.

Esse mercado não só cria vagas para os eventos. Eles geram também empregos indiretos no setor de turismo de negócios, um dos mais rentáveis. De acordo com a SPTuris, empresa responsável pelo turismo de São Paulo, na capital paulista, a taxa de ocupação média nos hóteis da cidade chegou a 66,33% no primeiro semestre deste ano.