Ética nas relações de trabalho: consultora comportamental dá as dicas

Quando a sinceridade permeia uma relação de trabalho, chances de sucesso do profissional são mais altas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Como um profissional deve se comportar no dia-a-dia? O que ele precisa fazer e dizer, sem deixar de ser ético? A resposta parece óbvia, mas, frente à competitividade que contaminou o mercado de trabalho e a cobrança cada vez mais intensa das empresas, a ética acabou ficando de lado.

No entanto, quando a sinceridade e a transparência permeiam uma relação de trabalho, as chances de sucesso do profissional dentro da corporação são mais altas. Então, para começar, a primeira dica da consultora comportamental Suyen Miranda é: seja honesto em todas as situações, mesmo quando possa ser bem difícil.

Outra recomendação é nunca fazer algo que você não possa assumir em público. O velho ditado “a mentira tem perna curta” certamente já se mostrou real para você. “Ser ético significa, muitas vezes, perder dinheiro, status e benefícios. Requer coragem, e os benefícios serão sentidos por quem realmente o estima, e, principalmente, na consciência tranqüila”, garante a especialista no assunto.

Flexibilidade

Aprenda a investir na bolsa

Seja humilde, tolerante e flexível também, sem esquecer que isso não implica ser subestimado. É importante ouvir o próximo, aprender com as pessoas, sem pré-julgamentos. E evite criticar os outros, independentemente se for um colega, um cliente, seu chefe ou algum parente. “Se for necessário criticar alguém, critique a pessoa diretamente, de forma discreta”, aconselha Suyen.

Além disso, sempre dê o crédito a quem merece. “Quem se apropria do mérito alheio, cedo ou tarde, terá que se retratar. Pessoas éticas jamais esquecem de episódios tristes como esse, por isso sempre irão se lembrar desse deslize, por mais que digam que a memória das pessoas é curta.”

Mais uma dica valiosa é: dê apoio aos colegas e clientes. “Escutar o outro surte efeitos incríveis à relação. Mas mantenha discrição do que foi dito, por mais palpitante que seja”, diz a consultora comportamental. É necessário sublinhar também que, talvez, amanhã, você precise de ajuda, tanto em âmbito pessoal quanto profissional.

Atitudes pontuais

Não mexa nos pertences dos colegas, mesmo que esteja na mesa dele um relatório ou documento importante que você está procurando. A privacidade deve ser respeitada. Da mesma maneira, quando pegar algo emprestado, devolva. “Agradecer favores por escrito é bem bacana”, afirma Suyen.

Se você ganhar um presente e sentir que ele tem mais do que simples camaradagem e carinho, fique atento, uma vez que as empresas costumam ter regras quanto a presentes, definindo um preço máximo. Caso o presente signifique algum tipo de coação, converse com seu superior, com o intuito de escolher uma estratégia eficiente de devolução.

Se o presente for de cunho pessoal, por sua vez, analise bem o que irá custar aceitar o “presente”. Dependendo de sua conclusão, o melhor é recusar com veemência, mas sem deixar de ser elegante e coerente.

PUBLICIDADE

Por fim, aprenda que a pontualidade vale ouro. “Quem atrasa e não avisa as pessoas que estiverem esperando acaba sendo considerado indigno de confiança, o que costuma gerar perda de oportunidades”, completa a consultora comportamental.