Ética deve pautar disputa por posições dentro das empresas

Para especialista, empresa deve deixar claro o que espera de seus colaboradores e quais são os passos para o crescimento

SÃO PAULO – Em tempos em que se valoriza o trabalho em equipe, a disputa por posições torna-se algo confuso para muitos profissionais, que não sabem lidar com a questão da competitividade em um contexto onde se necessita do trabalho em grupo.

Diante disso, segundo especialistas consultados pelo portal InfoMoney, a ética deve pautar a disputa por posições dentro das empresas.

“Neste contexto, destacam-se, principalmente, os profissionais que são pautados pela ética, sendo pró-ativo, e humildes”, ressalta a diretora do Grupo Soma Desenvolvimento Corporativo, Sônia Carminhato.

PUBLICIDADE

A psicóloga e vice-presidente da ABQV (Associação Brasileira de Qualidade de Vida), Sâmia Simurro, concorda e chama a atenção para a questão da comunicação.

“Vivemos a dicotomia das competências esperadas do profissional moderno. Ele tem que ser flexível, mas precisa saber seguir as diretrizes; tem que ser competitivo, mas tem que saber trabalhar em equipe; deve ser assertivo, mas não pode ser agressivo; deve ser líder, mas precisa submeter-se às normas. Qual é o ponto do equilíbrio? Como trabalhar onde posturas iguais podem ser interpretadas de forma diferente? É importante que a comunicação seja clara, que as ideias possam ser discutidas focando no bom andamento do trabalho para o bem da empresa”, argumenta Sâmia.

Resultados
O coordenador de consultoria da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Samuel Artus, explica que a disputa deve ser encarada pelo prisma das competências.

“O profissional deve ampliar sua capacidade de entregar resultados. Essa condição passa por seu desenvolvimento técnico, mas também pela sua capacidade de aliar forças para obter resultados, que passa necessariamente pela capacidade de relacionar-se com seus subordinados, pares e superiores”, diz Artus.

Empresa
Artus diz ainda que a empresa deve deixar claro e expresso o que espera de seus colaboradores, quais são os passos para o crescimento, o que ajuda a ter maior compreensão da situação e evita situações desagradáveis.

“É importante frisar que a organização tem um papel fundamental no momento que estabelece claramente o que é importante para um profissional ascender na carreira. Quando há normas claras e transparentes, todos têm a possibilidade de candidatar-se ao crescimento e terão maior compreensão quando forem preteridos em um aumento salarial ou mesmo numa promoção”, completa o especialista.

PUBLICIDADE

Sâmia ressalta que a liderança deve estar atenta no comportamento dos profissionais, devendo coibir atitudes inadequadas. “Um bom ambiente de trabalho deve ter respeito e profissionalismo. A briga saudável é aquela em que se defende projetos e melhorias da organização. Quando ela é contra pessoas, o foco mudou e o prejuízo é da empresa e da pessoa”.