RADAR INFOMONEY AO VIVO Por que o Santander surpreendeu o mercado? Veja as perspectivas para as ações dos bancos

Por que o Santander surpreendeu o mercado? Veja as perspectivas para as ações dos bancos

Estudo indica que 70% dos usuários de TI assistem a vídeos ligados à sua profissão

Na análise entre os países, o Brasil está em último no ranking, com 58,33% dos profissionais que usam esta ferramenta

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os profissionais têm usado a internet para aprimorar sua carreira. Um estudo realizado pela IDC Consultoria revela que 70% dos usuários de TI (Tecnologia da Informação) assistem a vídeos on-line relacionados à sua profissão.

Na análise entre os países, o Brasil está em último no ranking, com 58,33% dos profissionais que declararam usar esta ferramenta. O México aparece em primeiro lugar, com mais de 79% dos usuários, seguido pela Colômbia, com quase 78%.

“Mesmo ocupando a lanterna do ranking, observamos que o Brasil tem um número bastante expressivo de pessoas interessadas em obter informações em formato de vídeo”, afirma a gerente de Marketing da IDC América Latina, Luciana Sario.

Aprenda a investir na bolsa

Atualização
A coordenadora de Educação a Distância da Anhembi Morumbi, Fernanda Furuno, afirma que assistir a vídeos é uma das maneiras do profissional ficar atualizado. Mas os vídeos são considerados somente uma complementação dos estudos. Por isso, caso o profissional queira se aprofundar no assunto, é necessário procurar outros meios, como cursos.

Entre os vídeos que o profissional deve acessar, Fernanda indica as reportagens especiais produzidas pelas emissoras de televisão e palestras de especialistas da área. “No YouTube, é possível fazer uma busca pelo nome da fonte. Além disso, as próprias empresas e emissoras disponibilizam estes conteúdos. Este é um excelente recurso de atualização”, declara.

Cuidados
Antes de acessar os vídeos disponíveis na web, é necessário ter alguns cuidados. Segundo a especialista, o profissional deve buscar informações sobre o autor do vídeo, já que esta ferramenta pode ter sido modificada por terceiros anteriormente.

“Na internet, há muito material disponível, mas é necessário estar atento à qualidade do vídeo, já que alguns são duvidosos. É importante olhar a fonte”, orienta.