Estudantes se preocupam com o que postam nas redes sociais

Enquete do Nube aponta que 64,45% dos estudantes consultados evitam postagens comprometedoras na web

SÃO PAULO – O que se diz e se posta nas redes sociais pode impactar, de alguma forma, na sua carreira. Os consultores e especialistas em Recursos Humanos não cansam de alertar sobre esses impactos. E os jovens entenderam o recado.

Enquete realizada pelo Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios), com 4.076 estudantes, aponta que 64,45% deles evitam postagens comprometedoras na rede, porque se preocupam com a imagem que esse conteúdo pode transmitir ao mercado de trabalho.

“Muito se tem falado sobre o assunto e isso conscientizou os estudantes”, acredita a coordenadora de recrutamento e seleção do Nube, Natália Caroline. Para ela, os jovens estão cada vez mais cientes de que o perfil em redes sociais soma pontos nos processos de seleção.

PUBLICIDADE

“A utilização das redes sociais nesses processos é cada vez mais comum. Dependendo da área, essa visita é importante”, afirma Natália. Ela enfatiza, porém, que o conteúdo não chega a eliminar ou classificar um candidato. “Na verdade, as empresas utilizam essas redes como um meio para conhecer os candidatos”.

Esse monitoramento também é conhecido dos estudantes. Na enquete, 24% disseram que se preocupam com o que postam nas redes sociais, por conta desse acompanhamento.

Espaço privado e público
Quase 12% dos participantes da enquete responderam que não se preocupam com o conteúdo que postam na rede. Desses, 2,67% disseram que o espaço que têm nas redes sociais é particular, 4,83% afirmaram que não se preocupam porque apenas os amigos acompanham o perfil e 3,97% disseram que, como a internet é um território livre, eles não se preocupam com o que postam.

Para Natália, esse comportamento preocupa. “Essa questão de que a página é pessoal tem de ser vista com cuidado pelos estudantes. As empresas têm bom senso quando utilizam as redes nos processos, mas os estudantes também devem ter bom senso com o que postam. Existem coisas, como mensagens preconceituosas, por exemplo, que impactam em todos os aspectos da vida deles, não apenas o profissional”.

Por isso, a especialista afirma que o ideal é que os estudantes percebam se as imagens e palavras que eles colocarão na rede impactarão de maneira negativa a vida de outras pessoas.

Cuidados
Para evitar problemas em processos seletivos ou mesmo no trabalho, os jovens precisam prestar atenção a alguns detalhes. Natália recomenda que eles evitem postar fotos e imagens sensuais ou que se relacionem com atos e coisas ilícitas.

PUBLICIDADE

Frases que demonstrem algum tipo de apologia a drogas e armas e que revelem algum tipo de preconceito, seja étnico, religioso, político, de gênero, ou outros temas mais polêmicos devem ficar de fora do perfil dos jovens profissionais.

Outra questão deixada de lado na internet é o bom uso da Língua Portuguesa. “Claro que na internet é possível a utilização de termos e abreviações, mas não abuse, principalmente em redes sociais mais profissionais, como o LinkedIn”.

Nas redes sociais também evite comentar aspectos do trabalho. “Críticas a empresa, ao chefe e aos colegas não devem ser feitas nessas redes”, afirma Natália. Comportamentos assim prejudicam futuras oportunidades.