Estresse decorre de frustração, diz pesquisa

Dados mostram que descontentamento com trabalho tem causado mais estresse do que desequilíbrio entre vida pessoal e profissional

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Uma pesquisa realizada pela empresa especializada em comportamento Weigel Coaching revelou que o estresse atual não é causado pelo desequilíbrio na vida pessoal e profissional, mas, sim, pela frustração na carreira.

Em relação ao equilíbrio entre vida pessoal e profissional, 56% dos 500 entrevistados responderam que ele é parcial, enquanto 41% disseram que é completamente realizado e somente 3% afirmaram que há total desequilíbrio.

Por outro lado, apenas 15% dos profissionais estão completamente contentes com o trabalho, ante 61% que estão parcialmente satisfeitos e 4% que estão totalmente insatisfeitos. O restante teve as respostas invalidadas.

Aprenda a investir na bolsa

Entre o que os profissionais citaram que desejam, estão valorização e reconhecimento (47% das respostas), seguidos por oportunidade de crescimento (21%), ambiente agradável (19%), melhor remuneração e benefícios (7%) e aprendizado (6%).

Frustração na carreira
De acordo com a diretora-geral da Weigel, Jaqueline Weigel, a frustração se dá pela falta de percepção em relação ao panorama da empresa, da baixa capacidade de gerenciar o tempo e fazer entregas no período esperado.

“De forma não estruturada, muitos profissionais questionam qual é o retorno que terão pelo esforço extra e pelo aumento das responsabilidades assumidas. Sabemos que exigir mais resultado sem dar condições para tal causa um imenso desconforto”, disse.

Para ela, os seguintes fatores geram frustração:

  • Ausência de transparência em relação aos objetivos da empresa;
  • Falta de clareza quanto às responsabilidades de cada cargo;
  • Falta de foco e de prioridade aos projetos corporativos;
  • Falta de um projeto de vida em que o projeto de carreira se apoie;
  • Ausência de habilidades comportamentais.