Estilista novato: é possível chegar ao Fashion Rio ou Fashion Week?

"O universo da moda não é restrito", garante a coordenadora do curso de moda da Faculdade Santa Marcelina

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Quantas pessoas não sonham em despontar como revelação da moda, ter a própria marca e promover desfiles nos eventos badalados, como o Fashion Rio ou a São Paulo Fashion Week? Já que estamos no mês das semanas fashion, decidimos perguntar a quem entende do assunto como fazer para chegar lá.

Raquel Valente Fulchiron é coordenadora do curso de moda da Faculdade Santa Marcelina, mesma instituição em que estudaram muitos dos estilistas mais famosos do Brasil. “Há ex-alunos que se formaram há um ou dois anos e já estão no Fashion Rio ou no São Paulo Fashion Week”, lembra a coordenadora.

“Esses estilistas são hoje respeitados e admirados no mundo da moda, por conta da criatividade, do dinamismo e da coragem. Todos eles foram bons alunos, participavam sempre das atividades propostas pela faculdade e, principalmente, tinham humildade para aprender, ouvir as pessoas (professores, chefes e clientes) e aceitar críticas, aprendendo com elas. O sonho de fazer sucesso como estilista está longe de ser inatingível. O universo da moda não é restrito”, garante.

Talentos perdidos

Aprenda a investir na bolsa

O jogo de cintura para lidar com as pessoas é essencial em um ramo em que os profissionais dependem de outros para sobreviver. “Constantemente, observo estilistas arrogantes perdendo espaço no mercado, por conta da falta de humildade e da pretensão. É uma pena, porque são talentos perdidos”, alerta Raquel.

Para ela, a profissão é uma das que mais exigem maturidade. O motivo é simples: se quiser se manter no mercado, o estilista precisa escutar o cliente (e não desenhar as roupas somente segundo seu gosto pessoal), e conseguir patrocinadores, principalmente no início da carreira.

O peso do patrocínio

Pode acontecer dele estagiar em uma grande marca, que depois decide patrociná-lo, mas, de acordo com a coordenadora, a maioria dos patrocínios são de empresas de tecelagem e fiações, que desejam ter seus materiais divulgados por um jovem estilista talentoso. Por isso, fomentar a rede de relacionamentos é fundamental.

“O estilista deve ter a consciência de que está em constante processo de aprendizado e nunca imaginar que sabe tudo. Com uma postura adequada, tendo muito cuidado com as atitudes e decisões tomadas, ele pode obter a admiração das empresas. Mesmo estilistas com marcas consolidadas ainda são patrocinados.”

A última dica é fazer um estágio no período de faculdade, e conseguir um não é tarefa difícil na opinião de Raquel. “Quase todos os nossos alunos conseguem estagiar, mas, é claro, é preciso ir atrás. Nada cai do céu”, aconselha.