Estagiários: 2009 será um ano de oportunidades?

"Acredito que o estágio crescerá, mesmo neste momento de crise", afirmou gerente nacional de Estágios da Gelre; confira algumas tendências

SÃO PAULO – Apesar de as férias escolares ainda não terem terminado, e de poucas empresas terem anunciado oferta de vagas, o que daria uma noção mais clara do mercado de trabalho para jovens neste ano, a perspectiva é de que 2009 será um ano muito bom para os universitários brasileiros que procuram uma vaga de estágio.

“Acredito que o estágio crescerá, mesmo neste momento de crise. Tivemos um apagão de talentos em 2007 e 2008 e o estagiário entrou para ser treinado”, afirmou o gerente nacional de Estágios da Gelre, empresa especializada em relações humanas no trabalho, Alexandre Lima de Oliveira.

A expectativa é de que, até março, o volume de vagas ofertadas para estagiários cresça em 20%, mesmo com a nova lei de estágios. Isso porque, diante da crise, muitas empresas deixaram de contratar no final do ano passado, mas devem retomar os processos seletivos no começo deste ano.

Tendências

PUBLICIDADE

Questionado sobre quais áreas irão se destacar em 2009, ele afirmou que serão as mesmas dos últimos anos. “Na verdade, o mercado de estágio não muda muito. Você tem uma oferta grande em administração, direito, informática, comunicação, engenharia”, explicou o gerente nacional.

Acompanhando a tendência que foi verificada no final do ano passado, Oliveira aposta na contratação por parte de órgãos públicos, que devem voltar “com todo o gás”, nas palavras no especialista. Além disso, ele disse acreditar em um reforço de contratação de estagiários de ensino técnico e médio.

Em relação à localidade, os grandes centros urbanos continuarão despontando na contratação de estagiários, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre, o que não significa que as cidades menos populosas não oferecerão oportunidades. Elas possuem mais pequenas empresas, as quais costumam investir nos estagiários.

Lei do Estágio

Em setembro do ano passado, foi aprovada a nova lei de estágio (Lei 11.788/08). Com ela, os estagiários passaram a ter direito a férias proporcionais, vale-transporte, jornada de trabalho de, no máximo, 30 horas semanais, e trabalho de até três horas por dia em época de provas, dentre outras regras.

Em relação à nova lei, Oliveira afirmou que o ano de 2008 foi suficiente para as empresas tirarem suas dúvidas. A polêmica sobre as férias e a dispensa para estudo em época de provas acabou. As empresas e as instituições de ensino já estão entrando em conformidade com a legislação. A notícia é boa, uma vez que após um mês de vigor da lei, 60 mil estudantes haviam sido dispensados.

Com a lei, para a empresa, ficou a responsabilidade de enviar à instituição de ensino, com periodicidade mínima de seis meses, relatório de atividades do estagiário. “Tirando esse aspecto operacional, não tem um custo maior do estagiário para a empresa”, afirmou ele, dizendo que a nova legislação não justifica demissões.

Sobre a diminuição da carga horária – muitos estagiários faziam 40 horas semanais e, agora, são permitidas até 30 horas -, o gerente afirmou que não foi seguida de reduções nos salários. Além disso, ele afirmou que existe a possibilidade de as empresas contratarem outros estagiários para poder cobrir todo um dia de trabalho.