Está difícil conseguir estágio? Que tal procurar vaga em órgãos públicos?

Em SP, o governo está oferecendo 7.811 vagas de estágio para nível superior, médio e técnico

SÃO PAULO – O objetivo de muitos jovens universitários é colocar em prática o conteúdo aprendido na universidade e, consequentemente, ser remunerado. Para isso, existem os estágios. Mas, para conseguir um, é preciso passar por processos seletivos, que muitas vezes têm uma concorrência acirrada.

Por isso, vale tudo na hora de procurar um estágio, desde mandar currículos pela internet para os sites das companhias ou para empresas de recrutamento até ficar atento a outras oportunidades, como o estágio em órgãos de administração pública.

Governo

Neste mês, o governo do estado de São Paulo está oferecendo 7.811 vagas de estágio para estudantes que estejam cursando o Ensino Superior, Médio ou Técnico em instituições públicas ou particulares.

PUBLICIDADE

Dessas vagas, a maioria (5.760) é destinada para universitários. Para participar do processo seletivo, os estudantes precisam se inscrever até o dia 25 de setembro no site www.fundap.sp.gov.br e pagar a taxa de R$ 15.

A prova de seleção, que acontece no dia 25 de outubro, será composta por 30 questões de múltipla escolha, sendo eliminatória e classificatória.

Os aprovados terão bolsa-auxílio entre R$ 300 e R$ 750, além de auxílio-transporte e o recesso de 30 dias – para os contratos de um ano – ou proporcional ao período trabalhado, conforme a nova lei do estágio (n° 11.788/08).

Empresas

Além dos estágios em órgãos governamentais, há também a possibilidade de trabalhar em empresas privadas. De acordo com a Lei do Aprendiz (10.097/2000), todas as empresas de médio e grande porte devem disponibilizar entre 5% e 15% de suas vagas para jovens entre 14 e 24 anos (e pessoas com deficiência de qualquer idade).

Aprendizes

Segundo dados do Ministério do Trabalho e do Emprego, desde janeiro deste ano, já foram contratados 151.604 jovens aprendizes. O resultado supera o número de contratados do ano passado (130.789).

A meta do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é inserir 800 mil aprendizes no mercado de trabalho até 2010.

“Sabemos que estamos lançando uma meta ousada, mas, se todas as empresas cumprirem o estabelecido pela Lei, a alcançaremos com sucesso. Neste momento inicial almejamos inserir 800 mil jovens no mercado de trabalho, mas o Brasil tem potencial para absorver a mão-de-obra de 1 milhão de jovens aprendizes”, finalizou o secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Emprego, André Figueiredo.