Especialista aponta como líder deve agir em momento de crise

Diretor da Watson Wyatt indica que gestores devem manter o grupo bem informado, aliviando os temores quanto à demissão

SÃO PAULO – Manter a motivação dos liderados é sempre um desafio, ainda mais em um momento de crise, quando surge uma insegurança em relação ao emprego. “A agitação dos mercados financeiros causa, obviamente, preocupação para os trabalhadores”, afirmou o diretor regional de Retirement da Watson Wyatt, Segundo Tascon.

Por isso, o líder deve se esforçar para manter o grupo bem informado, aliviando os temores da crise e explicando os possíveis impactos em seus planos de pensão, programas de benefícios, remuneração e outros.

Para a empresa, fica a função de ajudar os funcionários a entender as implicações de suas estratégias de investimentos, em especial com o objetivo de aposentadoria, incluindo a importância de economizar, diversificar as carteiras e manter uma perspectiva de longo prazo.

Para os líderes

PUBLICIDADE

Em momentos como o vivenciado, o diretor regional orienta que os líderes mantenham em mente alguns princípios, sendo o primeiro deles “ser líder”. Isso significa dizer aos funcionários o que sabe e o que não sabe, explicar as medidas que estão sendo tomadas e estar sempre disponível.
Abaixo estão outros pontos a que os líderes devem estar atentos:

  • Mostre sua força. Explique para os profissionais como eles poderão ajudar a empresa a passar por esta fase;
  • Seja visível. Deixe evidente seu engajamento, sua credibilidade, convicção e paixão, que são mensagens importantes a serem transmitidas;
  • Use sua equipe. Faça com que sua equipe saiba o que e como comunicar, para que não existam rumores e fofocas;
  • Seja coordenado. Coordene suas mensagens internas e externas. Os funcionários devem saber das notícias da empresa em primeiro lugar;
  • Delegue. Em momentos como este, as pessoas querem ajudar, para se sentir úteis, então, compartilhe responsabilidades;
  • Abra mão do mito do controle da mensagem. É preciso saber o que está na mente dos funcionários. Tenha em mãos um processo rápido para contra-atacar rumores e esclarecer incertezas, como a possibilidade de demissões;
  • Seja humano. A crise pesa no bolso dos funcionários, seja por meio dos investimentos, da inflação ou da renda. Reconheça sua dor e mostre a eles os recursos que a empresa coloca à disposição para auxiliá-los.