Escolas promovem educação financeira e ensinam as crianças a economizar

Nas aulas, crianças entram no mundo da economia e aprendem sobre juros, cartão de crédito, mercado financeiro e poupança

SÃO PAULO – Uma das grandes dificuldades que os pais encontram no que diz respeito à educação de seus filhos é fazer com que eles entendam o valor do dinheiro. As crianças, que dificilmente se interessam pelo assunto, podem se tornar adultos incapazes de lidar com as próprias finanças.

Diante desta realidade, algumas escolas brasileiras já estão desenvolvendo projetos de educação financeira infantil. O projeto-piloto desta novidade foi promovido no Brasil pelo The Money Camp e já está em prática em algumas escolas do País.

Método de ensino facilita aprendizagem

“O curso é extracurricular e as aulas são ministradas uma vez por semana, com turmas divididas com alunos de 5 a 7 anos e de 8 a 11 anos”, afirma Jéssica Moreira, uma das professoras do projeto. Segundo ela, o método de ensino é muito dinâmico, trabalhando com jogos, brincadeiras, música e simulações.

PUBLICIDADE

“Há um momento, por exemplo, em que damos um salário de mil reais para cada aluno. Com esta renda, eles terão que pagar suas contas e fazer sobrar renda para a diversão”, explica Jéssica.

Outra técnica utilizada pelo programa para capacitar as crianças a gerirem suas finanças pessoais é a divisão do dinheiro em potes. Segundo a professora, em cada pote deve ser alocada uma quantidade de dinheiro correspondente a cada interesse do aluno.

“Todo dinheiro que eles recebem, seja a mesada ou um presente da avó, deve ter um destino. Esta é uma maneira de eles se controlarem e não saírem gastando em besteiras que os façam se arrepender depois”, completa a professora.

Entrando no dia-a-dia dos adultos

Os resultados têm se mostrado interessantes. Segundo Sandra Gonsalez, coordenadora de treinamento e desenvolvimento do projeto, as crianças saem do curso sabendo como funcionam os juros, investimentos e bolsa de valores, aprendem a assinar cheques, além de utilizar de maneira racional o cartão de crédito.

“Para que elas conheçam o mercado na prática, nós programamos, com as escolas, visitas monitoradas a bancos e a instituições financeiras, como a Bovespa” conta Sandra.

De acordo com a coordenadora, as crianças gostam de economia e aprendem fácil. “Elas chegam em casa querendo mostrar que agora sabem poupar. Algumas já até pediram para os pais abrirem uma poupança de presente de dia das crianças!”

O fato é que, tendo consciência e vivenciando a realidade da economia, a criançada aprende o real valor do dinheiro, o que as estimulará a fazer melhores escolhas no futuro. Os pais agradecem.