Equilibrar lazer e carreira é importante, mas profissionais trabalham nas férias

Levantamento constata ainda que 44% dos profissionais sacrificam vida pessoal para crescer na carreira

SÃO PAULO – Mesmo reconhecendo a importância do lazer e do convívio familiar, muitos profissionais não conseguem esquecer do trabalho durante as férias. Pesquisa realizada pela Accenture, com 200 profissionais de grandes empresas nos Estados Unidos, revelou que, para 79% dos entrevistados, manter equilíbrio entre trabalho e lazer é importante, entretanto 53% admitem que trabalham durante suas férias.

Além disso, 44% dos profissionais consultados afirmaram que sacrificam a vida pessoal com o objetivo de crescer na carreira. Quando questionados sobre as prioridades em suas vidas, 79% dos entrevistados citaram o salário/renda. Logo em seguida, aparece o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, com 64%.

Idade influencia nas férias

Outra constatação da pesquisa é que os profissionais com maior faixa etária são mais propensos a trabalhar durante as suas férias. Para se ter uma ideia, 71% dos entrevistados pertencentes à geração dos “baby boomers”, que nasceram antes de 1964, disseram que trabalham nas férias. Entre os integrantes da Geração X, pessoas nascidas entre 1965 e 1978, o percentual foi de 49%, já entre a Geração Y (profissionais nascidos depois de 1979), o índice registrado foi de 38%.

PUBLICIDADE

Uma questão além da idade que também pode influenciar a decisão de trabalhar ou não nas férias é o fato de o profissional ter ou não dependentes, já que 61% dos profissionais que têm dependentes afirmaram que trabalham nas suas férias, enquanto 44% dos profissionais sem dependentes disseram ter a mesma atitude.

Homens x Mulheres

Entre os homens entrevistados, 94% afirmaram que trabalham no período de folga lendo e respondendo e-mails corporativos. Já entre as mulheres, o percentual é de 83%.

O levantamento também indicou que 77% dos homens atendem ligações dos seus supervisores ou colegas de trabalho durante as suas férias. Entre as mulheres, esse índice é de 65%. Além disso, a maioria dos homens entrevistados (52%) afirmaram que participam de audioconferências relacionadas ao trabalho, já entre as mulheres, esse índice é de 44%.

Sempre que possível, 91% dos homens consultados relataram que aproveitam as férias para trabalhar em casa. Entre as mulheres, o índice é de 75%.

Apesar disso, 68% homens entrevistados consideram mais importante estar disponível para a família e filhos do que as mulheres 46%. Já em relação à flexibilidade no horário de trabalho, 49% dos homens consideram relevante e 39% das mulheres compartilham da ideia.