AO VIVO VP da Raia Drogasil conversa ao vivo com gestor; veja stock picking acontecendo na prática

VP da Raia Drogasil conversa ao vivo com gestor; veja stock picking acontecendo na prática

Entrevista demissional: veja os assuntos questionados e como responder!

Para consultora, pergunta-se sobre o clima organizacional e funcionário deve dizer a verdade, mas com cuidado

SÃO PAULO – É prática comum de muitas empresas realizar uma entrevista demissional, independentemente das circunstâncias em que ocorreu o desligamento do funcionário. Se muitos sabem que ela ocorre, poucos têm a noção de como se comportar nesse momento.

Em primeiro lugar, é bom saber como ocorre a entrevista demissional. De acordo com a consultora do IDORT-SP, Elisabete Alves, normalmente, as empresas já possuem um formulário que o demitido preenche, o qual registra por escrito a opinião do funcionário, para que o RH (Recursos Humanos) identifique o motivo do turn over e dê um direcionamento para a companhia.

Além do formulário, algumas empresas ainda chamam o profissional para uma conversa. “Elas perguntam: porque está saindo? Como vê o clima da empresa? Qual era a relação com o seu superior?”, exemplifica Elisabete.

Como se portar?

PUBLICIDADE

Mesmo que esteja chocado com a situação – se foi pego de surpresa na demissão, por exemplo -, nada de falar mal da empresa, por pior que ela tenha sido. Pense que todo o lugar tem pontos positivos e “a melhorar”.

“São as pessoas que fazem as empresas e, se as companhias têm seus problemas, temos nossa parcela de culpa. Fale que existe um tipo de problema, mas não fale mal. Pontue o que tem de melhor e não denigra. O profissional não pode esquecer que, quando vai para outra empresa, esta vai pedir informação na anterior”, explicou a consultora.

Não é por isso que o profissional deve deixar de dizer a verdade ou de expressar sua opinião, mesmo porque a empresa de onde está saindo tem de saber o que está acontecendo ou não poderá melhorar os processos.

Um exemplo de como se comportar: se você acha que a empresa é totalmente antiética, apenas diga que não concorda com a forma como o trabalho é conduzido. E se pedirem exemplos? Elisabete orienta os profissionais a não citarem nomes e dizerem tudo de maneira mais aberta.

Controle os sentimentos

Não existe uma receita de como fazer isso, mas o melhor é controlar as emoções no momento de fazer a entrevista demissional. “Se você estiver muito abalado, é melhor não fazer [a entrevista] nesse momento. Não fica bom para o profissional, porque ele pode falar e se arrepender, mas não tem como voltar atrás”.

Então, a principal dica é “respirar fundo e tomar uma água”. Em último caso, ligue para um amigo, companheiro (a) ou familiar… Enfim, para uma pessoa de confiança. Explique a situação e, mesmo que a pessoa não diga nada, você pode se sentir melhor por ter desabafado.