Engenheiros continuam sendo os mais procurados pelas empresas em maio

De acordo com o estudo da Ricardo Xavier, 18,51% das vagas abertas exigiam a graduação em Engenharia

SÃO PAULO – Em maio, os profissionais de Engenharia continuam na liderança entre os mais procurados pelo mercado de trabalho, segundo revela levantamento mensal de vagas da consultoria Ricardo Xavier Recursos Humanos.

De acordo com o estudo, 18,51% das vagas abertas no quinto mês do ano exigiam a graduação em Engenharia. Além disso, o setor foi o segundo que mais abriu vagas, com 8,3% das posições.

As graduações de Administração (12,64%), Ciências Contábeis (6,26%), Economia (4,06%), Propaganda/ Publicidade e Marketing e Direito (2,56%) também se destacaram em maio.

PUBLICIDADE

Quanto aos setores, a área Comercial, com 13,5% das posições, foi a primeira colocada no ranking de abertura de vagas. Depois, veio Engenharia e, em terceiro lugar, ficou a área financeira (5,1%), seguida pela administrativa (47,7%), RH (Recursos Humanos), com 4,5%, e industrial, com 3,43%.

Números gerais
Ainda conforme o levantamento da Ricardo Xavier, que abrange São Paulo (capital e Grande SP), Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Salvador, a localidade que mais abriu vagas no quinto mês de 2011 foi São Paulo (45,43%).

Rio de Janeiro aparece na segunda colocação, com 16,36%. Campinas (15,49%), Porto Alegre (10,21%), Salvador (8,05%) e Belo Horizonte (4,46%) aparecem em seguida. Ao todo, foram 2.782 posições abertas no mês passado, 32,6% mais do que o número verificado em abril.

Para o diretor-geral da Ricardo Xavier, João Xavier, o índice positivo nas contratações é reflexo do atual cenário econômico do País. “Os investimentos em setores como de infraestrutura e serviços devem aumentar cada vez mais, o que influenciará na geração de empregos”, destaca.

De acordo com o executivo, os profissionais precisam estar preparados para suprir a mão de obra qualificada que o mercado demandará nos próximos meses. “Além dos investimentos crescentes por parte das companhias já instaladas no País, há também muitas empresas multinacionais iniciando as operações por aqui”, finalizou.