Empresas não oferecem programas de desenvolvimento de talentos

Dados mostraram que 70% das empresas disseram ser fraca ou média sua posição em relação ao desenvolvimento de talentos

SÃO PAULO – Pesquisa realizada pela Transearch – multinacional especializada em executive search – revela que as empresas que atuam no Brasil estão com dificuldades em atrair, reter e desenvolver talentos.

De acordo com os dados, 70% das empresas disseram ser entre fraca ou média sua posição em relação ao desenvolvimento de talentos. Isso acontece porque há ausência de programas e processos, segundo responderam 43% das empresas contatadas. Outras 34% afirmaram que seus programas não são adequados e 11% que estão ainda mapeando talentos.

A pesquisa foi feita entre os dias 20 de agosto e 16 de outubro com entrevistas de 62 CEOs (diretores executivos) e diretores de empresas na Grande São Paulo, de diversos setores e com faturamento superior a US$ 100 milhões em 2007.

Retenção, atração e gestão

PUBLICIDADE

Em relação à retenção de talentos, 75% das empresas disseram ser média ou fraca sua posição. De acordo com 49% delas, falta um programa de retenção e incentivos específicos. Outras 26% vêem uma necessidade de salários mais competitivos, enquanto 11% acreditam que é preciso melhorar a imagem/marca da empresa para reter o talento.

Sobre a atração de talentos, que é considerada média/fraca para 56% das empresas contatadas, 55% das empresas acreditam que precisam melhorar a imagem frente aos concorrentes e 26% precisam de incentivos e benefícios melhores. A baixa atratividade do setor de negócios foi citada em 25% dos casos. Lembrando que as perguntas eram de múltipla escolha.

A pesquisa ainda mostrou que em 72% das empresas os programas de gestão de carreira dos executivos são fracos ou médios. Em 39% dos casos, faltam planos bem definidos; em 22%, existem processos que não são formalizados; em 20%; não há mapeamento de competências; e, em 24%, é preciso acompanhar o desempenho.

Busca por executivos

Os dados ainda mostraram porque as empresas saem à procura de executivos no mercado nacional. Confira as respostas:

  • 50% disseram que faltam candidatos internos;
  • 30% precisam preencher cargos-chave;
  • 28% têm urgência no processo;
  • 48% deram outras respostas também, como maior eficácia e assessoria qualificada.