Empresas flexibilizam horários para atrair a Geração Y

Pesquisa revela que 40% das companhias fazem isso, enquanto 34,5% criam planos específicos de carreira para esses jovens

SÃO PAULO – Como estratégia para reter os profissionais da chamada Geração Y, 40% das empresas adotam a flexibilidade de horários, revelou pesquisa realizada pela Amcham (Câmara Americana de Comércio) com gestores de Recursos Humanos das empresas associadas.

A Geração Y é formada por profissionais nascidos a partir da década de 1980 até meados dos anos 2000. Caracterizados por serem otimistas, sociáveis, apegados às amizades, terem facilidade para aprender, disposição em exercer a cidadania, adeptos do trabalho coletivo e terem alto interesse na vida profissional, os “Ys” têm dificuldade para lidar com pessoas difíceis no ambiente corporativo.

Mais peculiar, essa geração exige esforço das empresas. Não é à toa que a pesquisa revelou que 34,5% das companhias abordadas criam planos de carreira específicos para esses jovens colaboradores.

PUBLICIDADE

Desafios
Dos desafios apontados pelos entrevistados para lidar com essa geração, estão a necessidade constante de motivação para atuação em projetos e tarefas cotidianas, citada por 52,9%, e ajustes na adaptação aos modelos hierárquicos de gestão, lembrados por 35,6% das empresas.

O estudo mostrou que metade das companhias participantes conta com mais de 30% dos jovens da geração em seu quadro de funcionários.

Questionados sobre as vantagens de terem profissionais da Geração Y na equipe, 63,2% citaram as ideias e práticas criativas como as mais importantes, enquanto outro aspecto importante lembrado sobre estes profissionais foi o melhor uso das ferramentas tecnológicas nas empresas.

De acordo com a Amcham, com base em conclusões obtidas no seu Comitê de Gestão de Pessoas, os jovens têm planos de permanecerem nas companhias, desde que possam exercer suas funções com autonomia, espaço para ideias, relação de confiança com os chefes e oportunidades de emprego.