Empresas estão mais preocupadas com a atração e a retenção de talentos

Apesar da crise econômica mundial, mais da metade das organizações estão interessadas em contratar novos profissionais, diz Hay Group

SÃO PAULO – Nem mesmo a crise econômica ou os possíveis impactos causados pela vinda de profissionais estrangeiros para o Brasil tem afastado as perspectivas dos empresários brasileiros, que se mantêm otimistas com o cenário atual.

De acordo com um estudo da Hay Group divulgado nesta segunda-feira (19), 53% das empresas estão mais preocupadas com a atração de novos profissionais e 50%, com a retenção de talentos do que com qualquer outro item.

“Esse cenário é causado pelo atual momento econômico do País, que passa por uma expansão em diversos setores. O quadro não é de emprego para todos, mas de oportunidades para profissionais qualificados”, esclarece a gerente de desenvolvimento de negócios da consultoria Hay Group, Caroline Marcon.

PUBLICIDADE

As ferramentas
Entre as ferramentas usadas para atrair os profissionais, a pesquisa “Tendências em RH 2012” citou a construção da marca do empregador e os programas de estágio como os recursos mais utilizados para conquistar novos colaboradores. No estudo, ambos conquistaram 58,3% dos votos dos participantes.

Já na sequência, a parceria com as universidades, os programas de trainees e os programas de intercâmbio foram os mais citados, atingindo, respectivamente, 48,8%, 47,6% e 9,5% dos votos.

“Geralmente, as grandes empresas têm uma preocupação muito grande em atrair as pessoas, especialmente aquelas consideradas corretas. Por isso, a construção da marca é um fator importante”, completa Caroline.

Retenção em alta
Outro item também em alta no mercado é a retenção de talentos, que têm sido cada vez mais valorizada pelas companhias do País. Neste quesito, as ferramentas mais utilizadas para reter os trabalhadores que mais se destacaram na pesquisa foram: o investimento no desenvolvimento da carreira, com 79,8% dos votos, a adoção de programas de qualidade de vida (35,7%), a aceleração da carreira e as oportunidades internacionais – estas últimas com 32,1%.

“As empresas estão adotando cada vez mais esse recurso, pois perceberam que ao oferecer possibilidades de crescimento dentro da empresa também motivam os funcionarios e fazem isso não apenas para reter os talentos, mas também porque precisam dos colaboradores”, diz Carolina.

Por último no levantamento, foram mencionados o bônus de retenção, com 31% dos votos, e a jornada flexível, com 13,1%, que, apesar de já ser tão popular entre os trabalhadores no atual momento, ainda não pode ser efetivada pela maioria das empresas, por ajustes legais.

PUBLICIDADE

A pesquisa
Realizada pela Hay Group, em janeiro de 2012, a pesquisa teve como intuito avaliar o possível impacto da crise econômica global na área de recursos humanos das empresas brasileiras, já que muitos profissionais têm procurado buscado novas oportunidades de trabalho no Brasil.