Empresas do setor de serviços devem reajustar salários em 7,5%

Aumento salarial foi determinado no final de abril, em rodada de negociações da Convenção Coletiva 2008-2009

SÃO PAULO – Na rodada de negociações da Convenção Coletiva período 2008-2009, assinada pelo SINDEEPRES (Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão-de-Obra, Trabalho Temporário, Leitura de Medidores e Entrega de Avisos do Estado de São Paulo) e o sindicato patronal (Sindeprestem), foi determinado que, já que a partir de maio deste ano, os profissionais passam a ter um aumento de 7,5% no salário.

A negociação se deu no final de abril. Na ocasião, o SINDEEPRES deixou claro que é hora de as empresas valorizarem seus trabalhadores, com remunerações mais justas e dignas. Até porque, se elas esperam crescer, devem se preocupar, antes de tudo, com seu capital humano.

Reajuste supera inflação

A maioria (88%) das categorias que negociaram suas reposições de perdas salariais em 2007 conseguiram um aumento real de salário, ou seja, um índice maior que a inflação, de acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

PUBLICIDADE

Com os seguimentos abrangidos pelo SINDEEPRES não foi diferente. Os 7,5% são quase que o dobro da inflação do ano passado, que ficou na casa dos 4%.

De acordo com o sindicato, todos ganham, porque o crescimento do Brasil só será possível se for respeitado o ciclo de evolução, onde tudo começa com salários justos, que geram maior poder de compra, mais produção e finaliza em mais emprego.