Empresas devem ser encaradas como uma etapa da vida profissional

De acordo com especialista, profissional não deve encarar a empresa como o lugar onde vão se aposentar

SÃO PAULO – A sua visão de carreira bem-sucedida passa pelo plano de encontrar uma vaga na empresa dos sonhos, desenvolver-se dentro desta empresa e, por fim, após anos, nesta mesma empresa se aposentar?

Se a sua resposta foi positiva, está na hora de rever os seus conceitos. Ao menos esta é a opinião de Mariá Giuliese, psicóloga e diretora executiva da Lens & Minarelli, empresa do segmento de Outplacement.

Autora do livro “Será mesmo que você nasceu para ser empregado?”, lançado pela editora Gente, Mariá alerta que os executivos que fazem de sua carreira em uma determinada empresa o plano A de sua vida profissional correm grande risco de se decepcionarem,  ao se verem sem emprego.

PUBLICIDADE

Isso porque, explica ela, de modo geral, as empresas renovam sistematicamente seus quadros de pessoal, demitindo os profissionais com mais tempo de casa e contratando pessoas mais novas para a mesma posição.

Etapa da vida
Dessa forma, diz a psicóloga,é necessário que as pessoas encarem as empresas em que trabalham como uma etapa da vida profissional e não como o lugar onde vão se aposentar, repensando a forma como se relacionam com o trabalho, e, sobretudo, criando uma nova proposta de interação entre a atividade profissional e as empresas.

“Recebo muitos executivos em transição de carreira, que dedicaram duas ou três décadas a uma empresa e não conseguem enxergar outras oportunidades, porque fizeram do trabalho naquela empresa seu único plano de vida (..) Assim como vamos à escola para aprender a estudar, deveríamos ir à empresa para aprender a trabalhar. Uma vez adquirida certa experiência, deveríamos buscar a independência, pois é fato que as empresas demitem os mais velhos para trazer gente mais nova, com menores salários”.