Empresas de serviços ocuparam 9,7 milhões de pessoas em 2009, diz IBGE

Salários do período somaram R$ 143,5 bilhões e área de seguros e previdência foram as que mais se destacaram

SÃO PAULO – No ano de 2009, as 918,2 mil empresas de serviços não financeiros em atividade no País ocuparam 9,7 milhões de profissionais. Neste período, a estimativa é que tenham sido pagos em salários, retiradas e outras remunerações cerca de R$ 143,5 bilhões. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (26) e fazem parte da Pesquisa Anual de Serviços 2009.

Segundo o estudo, as empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas totalizaram 50,6 mil (5,5% do total) – o equivalente a 77,4% dos salários e 65,8% do pessoal ocupado. Destas, a área de seguros e previdência foram as que mais se destacaram, por apresentarem os maiores números.

Empresas e salários
No grupamento das “outras atividades de serviços”, os serviços auxiliares financeiros de seguros e previdência complementar foram os que mais chamaram a atenção.

PUBLICIDADE

Foram deles o registro pelo maior número de empresas (67,9%) e maior massa de salários pagos (54,9%) – uma média mensal de 4,9 salários mínimos contra 3,1 salários do segmento. O mérito pela maior produtividade média também ficou com o setor, que atingiu R$ 114 mil, frente à média de R$ 58,8 mil do conjunto das atividades.

Seleção e agenciamento de mão de obra
Também se destacou na pesquisa o grupo dos “serviços profissionais, administrativos e complementares”, cuja média de pessoal ocupado ficou em 14 pessoas por empresas. Nesta categoria, o destaque ficou com a área de seleção, agenciamento e locação de mão de obra, que atingiu uma média de 137 profissionais ocupados.

A área de segurança não ficou muito atrás. Os serviços de investigação, vigilância, segurança e transporte de valores tiveram 136 pessoas contratadas, enquanto aqueles voltados ao atendimento de edifícios e paisagismo registraram 79 pessoas.

Logo atrás destes serviços, em termos de participação no total de pessoas ocupadas, ficaram as atividades técnico-profissionais, com 19,8%. Nesta categoria, o número de empresas do segmento atingiu 53,1% e a massa de salários, retiradas e outras remunerações, 31,3%.

Administração em foco
Apesar dos serviços prestados principalmente às famílias terem o maior número de empresas dentro do âmbito da PAS (288.286 empresas ou 31,4% do total), os serviços profissionais, administrativos e complementares responderam pela maior parcela de pessoal ocupado (40,2%), da massa salarial (34,3%) e do valor adicionado no setor de serviços (31,9%).

Por região
Entre as grandes regiões, as empresas de serviços da Região Sudeste se destacaram em todas as variáveis pesquisadas pela PAS em 2009. Para se ter uma ideia, elas foram responsáveis por 66,4% da receita bruta de prestação de serviços, 60,7% do total de pessoal ocupado, 67,2% da massa de salários e outras remunerações pagas e por 60,2% do número de empresas.

PUBLICIDADE

As da região Sul responderam por 15,5% do total de pessoas ocupadas, 13,6% dos salários e outras remunerações pagas e por 21,6% do total de empresas. Já as empresas da região Nordeste tiveram uma participação um pouco menor, de 13,8% do pessoal ocupado, 10,2% dos salários pagos e 10,2% no número de empresas.

Com menor densidade populacional e empresarial, as regiões Centro-Oeste e Norte representaram, respectivamente, 7% e 3% do total de pessoal ocupado, 6,6% e 2,4% da massa de salários pagos e 6,5% e 1,5% do número de empresas.