Empresas de serviços faturam mais de R$ 58 bilhões por ano

Além disso, o setor emprega 2,5 milhões de trabalhadores e paga um total de R$ 25,5 bilhões anuais em salários

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As empresas de serviços faturam R$ 58,9 bilhões por ano e empregam quase 2,5 milhões de trabalhadores, pagando um total de R$ 25,5 bilhões anuais em salários. Na área de contribuição social, recolhem R$ 2,1 bilhões em FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

A conclusão é da Pesquisa Setorial 2007/2008, realizada pela Asserttem e pelo Sindeprestem, desenvolvida pelo IPEMA (Instituto de Pesquisa Manager) e divulgada nesta quarta-feira (10).

O estudo, realizado entre fevereiro e maio deste ano, revela que as empresas do setor de serviços cresceram em média 7% em relação à pesquisa anterior, de 2006.

Média salarial

Aprenda a investir na bolsa

A média dos salários dos profissionais do setor é de R$ 860, o que denota um aumento de 43,33%. A categoria representa 7,06% dos trabalhadores com carteira assinada no País. Os trabalhadores da terceira idade representam 11,5% da categoria, as pessoas com deficiência, outros 11,55%, e a média de primeiro emprego é de 10,3%.

O setor de prestação de serviços ocupa o sexto lugar no ranking – por ramo de atividade – da PEA (População Economicamente Ativa) do País. Os trabalhadores da categoria totalizam 17,9% da PEA, ou seja, 16,580 milhões de trabalhadores.

Serviços terceirizáveis

As empresas de terceirização ou de serviços terceirizáveis, grupo que entra na categoria “Setor de serviços”, faturam R$ 41,6 bilhões por ano e recolhem, anualmente, R$ 1,4 bilhão de FGTS e R$ 3,4 bilhões de INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Os trabalhadores, que somam mais de 1,5 milhão, recebem remuneração média de R$ 860. A massa salarial paga pelo setor é de R$ 16,8 bilhões/ano.

Sobre a pesquisa

Para o estudo, foram entrevistadas 117 empresas, 50% mais do que a pesquisa anterior. De acordo com o diretor de Comunicação da Asserttem e do Sindeprestem, Vander Morales, o objetivo da pesquisa, além de quantificar a evolução do setor em todo o País, é identificar tendências e a importância do segmento para os empregos formais.