Empreendedorismo

Empresas de alto crescimento criaram 50% das vagas em três anos, diz IBGE

Estudo do IBGE mostra que companhias de alto crescimento representam 1,5% do total de empresas

Palavras-chave para o currículo

SÃO PAULO – Em 2010, o Brasil registrou o total de 33.320 empresas de alto crescimento (EAC), que são aquelas que aumentaram em 20% ao ano o número de pessoas ocupadas por três anos, alta de 7,6% em relação ao observado em 2009. Os dados são do estudo Estatísticas de Empreendedorismo 2010, divulgados nesta quarta-feira (14) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

As empresas de alto crescimento representam 1,5% do total de empresas com pelo menos uma pessoas assalariada e e foram responsáveis por 50,3% dos novos postos de trabalho assalariado no Brasil entre 2007 e 2010. Do total de 5,4 milhões de novos empregos gerados, 2,7 milhões foram em EAC.

As empresas com crescimento orgânico são aquelas que o aumento na força de trabalho ocorreu em função da criação de novos postos e não por fusões ou incorporações. Dados dos estudo mostram que 51,5% das empresas de alto crescimento eram de pequeno porte, com até 49 empregados, sendo que apenas 9,2% eram de grande porte, aquelas com mais de 250 funcionários.

PUBLICIDADE

Salário
O total de pessoas assalariadas ocupadas em 2010 foi 0,9% menor, 4,3 milhões de pessoas, contra 4,4 milhões em 2009. As empresas de alto crescimento pagaram R$ 67 bilhões em salários e outras remunerações em 2010. Contudo, os salários médios pagos foram menores, 2,4 salários mínimos, que das empresas ativas, 2,9 salários mínimos.

No comparativo entre 2009 e 2010, houve queda de 5,4% nos salários e outras remunerações das empresas de grande porte, passando de uma média de 2,8 salários mínimos para 2,5 em 2010. As pequenas e médias empresas mantiveram os salários médios no mesmo patamar, 1,9 salário mínimo e 2,2, respectivamente. 

Em relação aos salários e outras remunerações distribuídas entre os setores de atividade econômica, em 2010, as indústrias de transformação foram responsáveis por 24,2% dos valores pagos pelas EAC, participação que teve uma redução 4,2 pontos percentuais quando comparada à taxa de 2009 (28,4%).

Novos postos
O estudo mostra ainda que as empresas de grande porte foram responsáveis por 29,8% dos novos postos de trabalho, as médias, por 15,2%, enquanto as pequenas, por 5,3%.

As EAC de grande porte diminuíram sua participação entre 2009 e 2010, passando de 9,4% para 9,2%, queda de 0,2 ponto percentual. Em termos de pessoal ocupado assalariado, esta retração foi maior, caindo de 60,9% para 57,3%, recuo de3,6 pontos percentuais.

Regiões
O estudo de Empreendedorismo mostra que, em 2010, 49,6% das unidades locais das empresas de alto crescimento estão na região Sudeste e 20,3% na região Sul. O Sudeste também concentra o maior percentual de pessoas empregadas, com 52,9%.